Escolha as suas informações

Supermercados aconselhados a reduzir iluminação e aquecimento
Economia 21.11.2022
Crise energética

Supermercados aconselhados a reduzir iluminação e aquecimento

Crise energética

Supermercados aconselhados a reduzir iluminação e aquecimento

Foto: Gerry Huberty/Luxemburger Wort
Economia 21.11.2022
Crise energética

Supermercados aconselhados a reduzir iluminação e aquecimento

Simon MARTIN
Simon MARTIN
A recomendação é da Federação Luxemburguesa de Alimentação e Distribuição. A maioria das superfícies comerciais pretende aderir.

Tal como outros países da União Europeia, o Luxemburgo tem de reduzir o seu consumo de gás em pelo menos 15% até ao final de março. Para já, o objetivo foi alcançado, embora os primeiros resultados tenham sido influenciados pelo clima ameno deste outono. É provável que o consumo de gás acelere consideravelmente nos próximos dias, à medida que as temperaturas descem. 


Luxemburgo. Aquecimento dos edifícios públicos só até 20 graus este inverno
O ministro da Energia anunciou esta quinta-feira uma primeira medida, dirigida às comunas, para poupar no consumo de gás, face à crise energética que se avizinha para os próximos meses

Todos os atores são, assim, chamados a mobilizarem-se, começando pelos supermercados e centros comerciais, estruturas que consomem muita energia. A Federação Luxemburguesa de Distribuição e Alimentação (FLAD) elaborou um plano de sobriedade energética em consulta com os vários centros comerciais do país, tais como o Kirchberg shopping center, o Cloche d'Or, o Knauf de Pommerloch e Schmiede e o centro comercial Belle Etoile. 

Limitar a iluminação interior e exterior

Foi criada uma lista de recomendações que os centros comerciais acima mencionados irão aplicar: desligar as placas de néon exteriores durante o período de encerramento das lojas, entre as 22h e as 6h; reduzir a temperatura das instalações a um máximo de 20°C no inverno; reduzir a iluminação geral da sinalização interior e reduzir sistematicamente a intensidade da luz antes da chegada dos clientes. 


Capital com luzes de Natal só até às 23h
Ao todo, vai haver uma redução de 19 para seis horas diárias de iluminação, para fazer face à crise energética. No mesmo sentido, contam-se menos 265 decorações natalícias.

Os conselhos incluem também a limitação da iluminação das superfícies comerciais e a sensibilização dos funcionários para a questão da energia. "É importante notar que as recomendações e o guia só serão aplicados na medida do possível e em total conformidade com as regras de segurança e higiene", diz a FLAD num comunicado de imprensa. Cada membro da federação já aplica medidas específicas dentro da sua empresa, adaptadas ao seu funcionamento e às especificidades técnicas dos seus edifícios.

(Este artigo foi originalmente publicado no Virgule e adaptado ao Contacto por Maria Monteiro.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.