Escolha as suas informações

Statec prevê défice sem precedentes no Luxemburgo este ano
Economia 26.06.2020

Statec prevê défice sem precedentes no Luxemburgo este ano

Statec prevê défice sem precedentes no Luxemburgo este ano

Foto: Anouk Antony
Economia 26.06.2020

Statec prevê défice sem precedentes no Luxemburgo este ano

PIB luxemburguês deverá passar de +2,2% em 2019 para -6% em 2020

O mercado de trabalho e as finanças públicas no Luxemburgo serão seriamente afectados pelas consequências económicas da pandemia da covid-19, com a previsão de um défice sem precedentes para o país. O aviso é do Instituto Nacional de Estatística e Estudos Económicos (Statec), que esta quinta-feira, 25 de junho, anunciou que se espera que o PIB luxemburguês registe "uma queda de 6%" este ano. 


Covid-19. OCDE prevê quebra da economia mundial entre 6% e 7,6% do PIB em 2020
A OCDE considera que a pandemia de covid-19 deixou um rasto de consequências económicas “desastrosas” das quais vai ser difícil recuperar e estima que a economia mundial registe uma recessão entre 6,0% e 7,6% em 2020.

Segundo o organismo, citado pela edição francesa do Luxemburger Wort, o PIB do Luxemburgo "deverá registar uma queda de 6% em 2020" antes de saltar "em 7% em 2021". A desaceleração cíclica com a queda do emprego e a paralisação da economia, resultante do confinamento, e os gastos na despesa, sobretudo nas áreas da saúde, conduzirá a uma deterioração acentuada das finanças públicas, esperando-se em termos de receitas, uma quebra de mais de 5% em 2020, de acordo com o Statec. Já a despesa pública deverá aumentar 12% este ano. 

No final, o saldo público cairá acentuadamente, de +2,2% do PIB em 2019 para -6% este ano (ou seja, -3,5 mil milhões de euros), o que para o Luxemburgo, seria um défice sem precedentes. 

Nos últimos 25 anos, o Luxemburgo só se encontrou numa situação deficitária três vezes e por apenas 1% do PIB em cada uma das vezes.   

Mercado de trabalho

O organismo refere ainda que "as consequências serão sentidas em particular no mercado de trabalho e nas finanças públicas".  No entanto, o Statec prevê algumas atenuantes, com base em algumas decisões governamentais. 


“Desempregados têm cada vez mais dificuldade em encontrar trabalho” - Diretora da ADEM
“O desemprego tem aumentado brutalmente desde 16 de março no Luxemburgo, sendo que mais de 20.000 pessoas estão inscritas na Agência para o Desenvolvimento do Emprego (ADEM), das quais 10.000 recebem o subsídio de desemprego”. Os dados foram confirmados, esta manhã, pela diretora da ADEM, Isabelle Schlesser, aos microfones da RTL.

"As medidas de manutenção do emprego tomadas pelo governo, durante o confinamento, deverão, no entanto, limitar os efeitos negativos sobre a mão-de-obra assalariada, prevendo-se ainda um aumento do emprego de 0,8% em 2020 no cenário de confinamento limitado, após +3,6% em 2019", aponta o instituto.

Os sectores mais afectados, em matéria de emprego, serão aqueles que foram sujeitos a uma proibição total ou parcial de trabalho, como a construção, a Horeca e o comércio e para os quais as oportunidades de teletrabalho são limitadas. 

 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Fitch: Luxemburgo mantém triplo A
O Luxemburgo mantém o triplo A, desta vez confirmado pela agência de notação Fitch. A mesma avaliação tinha sido dada pela DBRS, Moody's e Standard & Poor's, anteriormente.
Fitch cites Grand Duchy's "strong" governance metrics, high income per capita and "solid" growth potential and public finances.
STATEC: Economia luxemburguesa cresce 4,2%
A economia luxemburguesa cresceu 4,2% no ano passado. E não foi só a procura interna o motor do crescimento: de acordo com o Instituto Nacional de Estatísticas do Luxemburgo (STATEC) houve um equilíbrio maior entre a procura interna e externa.