Escolha as suas informações

Sindicatos acusam Mahle de fecho premeditado da fábrica em Foetz
Economia 12.11.2019

Sindicatos acusam Mahle de fecho premeditado da fábrica em Foetz

Sindicatos acusam Mahle de fecho premeditado da fábrica em Foetz

Foto: Guy Jallay
Economia 12.11.2019

Sindicatos acusam Mahle de fecho premeditado da fábrica em Foetz

O anúncio de encerramento da fábrica foi feito no final de outubro. Os sindicatos asseguram que vão utilizar “todos os meios legais necessários” para defender os trabalhadores afetados. No total, serão 78 os empregados atingidos.

As centrais sindicais LCGB e OGBL acusam a fabricante alemã de componentes automóvel Mahle de tomar medidas de forma premeditada para encerrar a sua fábrica, em Foetz. Num comunicado conjunto, os sindicatos afirmam ainda que a empresa não demonstra qualquer “interesse social”. Nesse sentido, os sindicatos asseguram que vão utilizar “todos os meios legais necessários” para defender os trabalhadores afetados. No total, serão 78 os empregados atingidos pelo encerramento da unidade.

O anúncio de encerramento foi feito pela empresa no final de outubro e dias depois foi a vez de outra fabricante de componentes automóvel, a Delphi, anunciar um corte de pessoal que poderá atingir 250 trabalhadores.

Os sindicatos relembram que a Mahle se instalou no Grão-Ducado em 2015, e despediu 60 trabalhadores em 2018, garantindo que a fábrica não iria encerrar. Ora, a LCGB e a OGBL realçam que o argumento agora avançado para justificar o fecho é que depois do plano social de 2018, a Mahle/Mahle Behr deixaram de ter as competências para responder às evoluções constantes do setor automóvel. “Noutras palavras: um plano social resulta noutro e mesmo no encerramento da empresa”, afirmam no comunicado. Ora, para as centrais sindicais, os procedimentos “parecem claramente ter sido premeditados”.

No comunicado da empresa que anuncia o fecho, afirma-se que as atividades serão descontinuadas até meio de 2021 e que serão deslocalizadas. O objetivo da medida é, segundo a empresa, centrar a sua atividade nos veículos elétricos. As unidades de França e Itália também vão ser afetadas.

Em março deste ano, a Mahle lançou um programa de redução interna de custos, no seguimento do inciado em 2018, com o objectivo de aumentar os lucros. Para isso, o grupo levou a cabo um conjunto de auditorias às suas fábricas em todo o mundo.

P.C.S.


Notícias relacionadas