Escolha as suas informações

Setor das limpezas sai à rua em protesto esta quinta-feira
Economia 11.03.2021 Do nosso arquivo online

Setor das limpezas sai à rua em protesto esta quinta-feira

Setor das limpezas sai à rua em protesto esta quinta-feira

Foto: Maurice Fick
Economia 11.03.2021 Do nosso arquivo online

Setor das limpezas sai à rua em protesto esta quinta-feira

Diana ALVES
Diana ALVES
As duas maiores centrais sindicais do país, OGBL e LCGB, saem à rua esta quinta-feira para reivindicar uma valorização do setor das limpezas.

O protesto acontece no mesmo dia em que os sindicatos voltam a reunir-se com a Federação das Empresas de Limpeza (FEN, na sigla em francês) para discutir a renovação do contrato coletivo de trabalho do ramo. A ação sindical conjunta tem início marcado para as 13:30, em frente a Chambre des Métiers (que alberga a sede da FEN), em Kirchberg.

Há um ano que ambas as partes tentam chegar a um acordo sobre a renovação da convenção coletiva. Os sindicatos exigem melhorias das condições de trabalho, mas a federação não aceita. OGBL e LCGB consideram a intransigência da FEN de "inaceitável e irresponsável para com os trabalhadores que, através do seu trabalho, geram a riqueza das empresas", pode ler-se num comunicado enviado às redações.

Após um ano de impasse nas negociações, os dois sindictos exigem dois dias de férias suplementares por ano para todos os trabalhadores do setor, independentemente do tempo de experiência, assim como um prémio de 500 euros. Exigências a que a federação se recusa a ceder. De acordo com as centrais sindicais, o organismo insiste em renovar a convenção coletiva atual, sem qualquer alteração, por mais dois anos. 


Putzfrau
Limpezas. OGBL exige dois dias de férias suplementares para os trabalhadores
O sindicato faz estas reivindicações, mas a federação não cede. Renovação do contrato coletivo de trabalho não avança.

Os sindicatos rejeitam esse cenário e consideram que está na hora de valorizar o ramo das limpezas, considerado pelo Governo como um dos setores essenciais durante a crise da covid-19. Numa entrevista recente à Rádio Latina, Estelle Winter, da OGBL, frisou que as exigências dos sindicatos são mais do que aceitáveis, sobretudo tendo em conta que as empresas do setor continuam a faturar. Segundo as centrais sindicais, "o setor registou um forte crescimento económico nos últimos anos e o volume de negócios das empresas não para de aumentar". Só no Luxemburgo as limpezas empregam cerca de 11.200 pessoas. 

(Diana Alves, jornalista da Rádio Latina)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas