Escolha as suas informações

Ryanair quer recrutar mais de 2.000 pilotos
Economia 12.07.2021 Do nosso arquivo online
Aviação

Ryanair quer recrutar mais de 2.000 pilotos

Aviação

Ryanair quer recrutar mais de 2.000 pilotos

Foto: AFP
Economia 12.07.2021 Do nosso arquivo online
Aviação

Ryanair quer recrutar mais de 2.000 pilotos

Redação
Redação
Apesar da pandemia, empresa espera continuar a crescer nos próximos anos.

A companhia aérea low-cost Ryanair anunciou esta segunda-feira a abertura de 2.000 novas vagas para pilotos. Os novos postos são sobretudo para os aviões encomendados pela empresa e que vão estar operacionais nos próximos três anos.

Entre eles está o Boeing 737-8200 Gamechanger que ajudará a empresa a atingir metas mais sustentáveis do ponto de vista ambiental, como a redução de CO2 e o uso de combustíveis fósseis, refere a empresa num comunicado divulgado esta segunda. 

"Os cursos de treino de pilotos vão decorrer durante todo o ano de 2021 de forma a que os novos pilotos comecem a operar no verão do próximo ano em toda a Europa", escreve ainda. 

Apesar do impacto da pandemia no setor da aviação, a que a companhia irlandesa não foi alheia, a Ryanair espera atingir os 200 milhões de passageiros até 2024. 


Bielorrússia força aterragem de avião da Ryanair para deter jornalista
A aterragem forçada de um avião da Ryanair a pedido das autoridades bielorrussas está a gerar novo clima de tensões entre o regime de Lukashenko, a Europa e os EUA.

A empresa esteve recentemente na mira da imprensa internacional depois de uma avião ter sido desviado pelas autoridades bielorrussas para deter um opositor ao regime de Lukashenko. O incidente gerou indignação da comunidade internacional e europeia, tendo levado mesmo a Comissão Europeia a adotar um conjuntos de sanções económicas à Bielorrússia. 

Num outro episódio, desta vez com Portugal, em maio passado o CEO da Ryanair e o Governo luso trocaram acusações por causa da TAP, após a empresa irlandesa ter ganho um recurso na justiça europeia contra as ajudas estatais à TAP e Air France, de  no valor de 1,2 mil milhões de euros e de 3,4 mil milhões, respetivamente.


Tribunal da UE dá razão à Ryanair e anula ajudas estatais à TAP e Air France
Organismo anula aval dado por Bruxelas a apoios para salvar as companhias de bandeira por considerar que ajuda não está fundamentada, depois de recurso interposto pela Ryanair. Comissão Europeia vai analisar decisão do tribunal e estudar "próximos passos"

A companhia low-cost sempre se mostrou contra as ajudas públicas concedidas às companhias aéreas, considerando que estas violam as regras concorrenciais do mercado interno europeu. 


O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas