Escolha as suas informações

Ryanair corta voos de 60% para 40% da capacidade em relação ao inverno passado
Economia 15.10.2020

Ryanair corta voos de 60% para 40% da capacidade em relação ao inverno passado

Ryanair corta voos de 60% para 40% da capacidade em relação ao inverno passado

Foto: AFP
Economia 15.10.2020

Ryanair corta voos de 60% para 40% da capacidade em relação ao inverno passado

Menos voos e menos rotas é a resposta que a Ryanair dá ao que diz ser uma má gestão das viagens aéreas por parte dos governos da União Europeia.

A Ryanair, uma das maiores companhias aéreas de aviação, anunciou esta quinta-feira a programação dos seus voos para este inverno com uma redução da capacidade de 60% para 40% em relação ao mesmo período de 2019. A empresa de viagens aéreas de baixo custo justificou a decisão com o aumento das restrições impostas pelos governos da União Europeia, sobretudo na Europa Central, incluindo Reino Unido, Irlanda, Áustria, Bélgica e Portugal.

Com as reservas antecipadas a decrescerem, a Ryanair espera manter até 65% das rotas de inverno, mas com frequências reduzidas. Para além do encerramento dos seus pontos de referência em Cork, Shannon e Toulouse, a companhia anunciou cortes significativos de aeronaves na Bélgica, Alemanha, Espanha, Portugal e Viena. 


Covid-19. Ryanair processa estado português por apoio estatal à TAP
Em causa está um apoio de 1,2 mil milhões de euros que a companhia aérea low cost considera que viola o tratado europeu e as regras concorrenciais.

Com esta redução, a low-cost espera agora que o seu tráfego anual global caia para cerca de 38 milhões de passageiros, embora considere que estes números possam ser ainda mais baixos "se os governos da UE continuarem a gerir mal as viagens aéreas e a impor mais bloqueios este inverno".

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas