Escolha as suas informações

Risco de pobreza e exclusão social é maior para os trabalhadores independentes
Economia 23.09.2022
Eurostat

Risco de pobreza e exclusão social é maior para os trabalhadores independentes

Eurostat

Risco de pobreza e exclusão social é maior para os trabalhadores independentes

Foto: Shutterstock
Economia 23.09.2022
Eurostat

Risco de pobreza e exclusão social é maior para os trabalhadores independentes

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
Portugal e Luxemburgo estão entre os dez países da União Europeia onde estes trabalhadores correm maior risco.

Os trabalhadores independentes são os que correm mais risco de pobreza e exclusão na União Europeia (UE). E Portugal e o Luxemburgo estão entre os dez Estados-membros onde esse risco é maior, segundo um estudo do Eurostat, divulgado esta quinta-feira.

De acordo com os dados do gabinete europeu de estatísticas, referentes a 2021, quase um quarto (23,6%) de todos os trabalhadores independentes, com 18 anos ou mais, estavam em risco de pobreza e exclusão social na UE. 


Luxemburgo. Mais de 20% da população em risco de pobreza ou exclusão social em 2021
Já na UE, 21,7% da população estava em 2021 em risco de pobreza ou exclusão social.

Analisando o risco por países, a Roménia, Portugal e Estónia registaram, no último ano, as percentagens mais elevadas de trabalhadores independentes em risco de pobreza e exclusão social, com 70,8%, 32,4% e 32,2%, respetivamente. 

O Luxemburgo apresentou a nona percentagem mais elevada da UE, tendo 21,9% desses trabalhadores em risco de pobreza e exclusão social.

Por outro lado, a República Checa, a Hungria e o Chipre foram os países que apresentaram as percentagens. Nesses estados, a percentagem de trabalhadores independentes em risco de pobreza e exclusão social, em 2021, foi de 7,4%, 7,7% e 9,5%, respetivamente. 

A única categoria que sofreu um aumento do risco de pobreza

Em comparação com 2020 e olhando para o estatuto de atividade, esta foi a única categoria que sofreu uma deterioração da situação de pobreza no espaço de um ano, aumentando de 22,6% para 23,6%, sinaliza o Eurostat.


Aumento de 18%. Pão "mais caro do que nunca" na UE
Segundo o Eurostat, a Hungria foi o Estado-membro onde o preço do pão mais aumentou, em agosto, enquanto o Luxemburgo ficou abaixo da média da UE com a terceira menor subida.

A Roménia registou a maior subida desse risco, entre 2020 e 2021, com um aumento de 5,1%. Em contrapartida, a situação de pobreza dos trabalhadores independentes melhorou em 11 países, com a Irlanda e a Hungria a registarem a maior diminuição das taxas de risco a esse nível, no mesmo período em análise:  com uma variação de -3,2% e -3,7%, respetivamente. 

No conjunto dos países da UE, entre 2020 e 2021, as taxas de risco de pobreza ou exclusão social diminuíram em 1,6% para os desempregados, 0,6% para os pensionistas e 0,3% para os empregados por conta de outrem. 

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas