Escolha as suas informações

Reunião: BCE sinaliza mais estímulos à economia da zona euro
Economia 21.07.2016 Do nosso arquivo online

Reunião: BCE sinaliza mais estímulos à economia da zona euro

O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, quer esperar até ter uma ideia mais concreta do impacto do Brexit

Reunião: BCE sinaliza mais estímulos à economia da zona euro

O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, quer esperar até ter uma ideia mais concreta do impacto do Brexit
Foto: Reuters
Economia 21.07.2016 Do nosso arquivo online

Reunião: BCE sinaliza mais estímulos à economia da zona euro

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sinalizou hoje que está preparado para tomar mais medidas de estímulo à economia, mas só quando houver uma ideia mais concreta do impacto do Brexit.

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sinalizou hoje que está preparado para tomar mais medidas de estímulo à economia, mas só quando houver uma ideia mais concreta do impacto do Brexit. Os economistas consideram que as novas medidas podem chegar a 8 de Setembro, na próxima reunião.

“Nos próximos meses, quando tivermos mais informações e mais projecções, já estaremos numa posição melhor para avaliar as condições macroeconómicas subjacentes”, afirmou Draghi em conferência de imprensa, após a reunião do BCE. “Se houver garantias de que conseguir alcançar resultados, o BCE vai agir usando todos os instrumentos disponíveis”, assegurou.

Draghi considerou também que os mercados financeiros manifestaram uma "resistência encorajante" após o voto britânico a favor da saída da União Europeia. "Após o referendo no Reino Unido, os mercados financeiros da zona euro ultrapassaram a incerteza e a volatilidade com uma resistência encorajante", disse.

Em comunicado, o BCE anunciou que deixou a sua taxa de juro directora inalterada em 0%. A instituição monetária de Frankfurt também indicou que a taxa de juro aplicável à facilidade permanente de cedência de liquidez se mantém em 0,25% e a taxa de depósitos fica inalterada em -0,4%.


Notícias relacionadas

BCE baixa juros e relança compra de ativos (atualizada)
As medidas são um pouco menos arrojadas do que chegou a ser esperado pelos mercados e pode ficar a dever-se ao facto de a retoma da compra de ativos ter encontrado resistências importantes entre alguns membros do Conselho do BCE.