Escolha as suas informações

Reembolsos do Estado em medidas covid-19 chega aos 417 milhões de euros
Economia 05.05.2022
Pandemia

Reembolsos do Estado em medidas covid-19 chega aos 417 milhões de euros

Pandemia

Reembolsos do Estado em medidas covid-19 chega aos 417 milhões de euros

Shutterstock
Economia 05.05.2022
Pandemia

Reembolsos do Estado em medidas covid-19 chega aos 417 milhões de euros

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Ainda de acordo com os números apresentados, a licença prolongada por motivos familiares custou, em 2021, 50 milhões de euros aos cofres do Estado e 238 milhões de euros em 2020. Em 2022, e segundo dados recolhidos até 31 de março, o custo foi de 11 milhões de euros.

Até 31 de março de 2022, todas as medidas "Covid-19" abrangidas pela Caixa Nacional de Saúde – CNS (testes PCR, taxas hospitalares suplementares, despensas para mulheres grávidas, entre outros) e reembolsadas pelo Estado tiveram um custo global de 417,5 milhões de euros. 

O valor foi divulgado num comunicado conjunto dos ministérios da Saúde e da Segurança Social, na sequência do comité quadripartido, que juntou esta quarta-feira Governo, representantes dos trabalhadores, do patronato e dos prestadores de serviços de saúde. 

Ainda de acordo com os números apresentados, a licença prolongada por motivos familiares custou, em 2021, 50 milhões de euros aos cofres do Estado e 238 milhões de euros em 2020. Em 2022, e segundo dados recolhidos até 31 de março, o custo foi de 11 milhões de euros. 

O Governo comprometeu-se ainda a financiar medidas que vão além do âmbito do seguro de saúde e maternidade, num montante total de 386 milhões de euros entre 2020 e 2023. 

Apesar da participação financeira do Estado nas medidas ligadas à crise sanitária, a situação financeira do seguro de saúde-maternidade teve um resultado operacional negativo de 55,7 milhões de euros em 2021, ou seja, a diferença entre 3.632 milhões de euros de despesas 3.576,3 milhões de euros de receitas. 

O saldo global acumulado (reserva global) passou dos 958,9 milhões de euros em 2020 (25,4% das despesas correntes) para 903,2 milhões de euros em 2021 (24,9% das despesas correntes). 

Para 2022, as últimas estimativas apontam para um défice de cerca de 48,1 milhões de euros para as operações correntes, atingindo um saldo global acumulado de 855,2 milhões de euros (22,1% das despesas correntes.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A Caixa Nacional de Saúde (CNS) registou no ano passado um défice de 12 milhões de euros, o que se traduz por uma diminuição da reserva geral para cerca 959 milhões de euros, ou seja 25% do montante anual das despesas correntes.
As contas orçamentais do Luxemburgo foram melhores do que o esperado em 2015. O anúncio foi feito pelo ministro das Finanças, Pierre Gramegna, que apresentou a Conta geral do Estado de 2015 perante a comissão de Finanças e Orçamento no Parlamento.
14.7. IPO / PK Wohnungsbau und Klimabank / Pierre Gramegna Foto.Guy Jallay