Escolha as suas informações

Reabertura das esplanadas não implica perda de subsídios públicos
Economia 07.04.2021

Reabertura das esplanadas não implica perda de subsídios públicos

Reabertura das esplanadas não implica perda de subsídios públicos

Foto: Guy Jallay/Luxemburger Wort
Economia 07.04.2021

Reabertura das esplanadas não implica perda de subsídios públicos

Manuela PEREIRA
Manuela PEREIRA
Esta quarta-feira, 7 de abril, é um dia simbólico para o setor da Horeca.

A reabertura das esplanadas pode significar um primeiro passo em direção à reabertura total da restauração mas, tal como o Governo assegurou, tudo vai depender da evolução da pandemia no Grão-Ducado.

Por agora só os comércios com autorização para explorar esplanada podem usufruir desta abertura, sendo que as esplanadas improvisadas não são permitidas. Certo é que quem decide abrir parcialmente o negócio a partir de 7 de abril vai poder continuar a usufruir das ajudas estatais ao setor, incluindo o desemprego parcial, uma almofada financeira para muitos negócios em risco. A garantia está inscrita no projeto de lei 7795 do prolongamento das medidas anti-covid e que regula também a abertura das esplanadas com condições restritas.

"A reabertura das esplanadas é 'opcional' e todas as ajudas como o desemprego parcial ou a ajuda para custos não cobertos permanecem em vigor", pode ler-se no texto do Parlamento.


Esplanadas abrem quarta-feira. Estas são as regras a cumprir
As esplanadas do Luxemburgo abrem já esta quarta-feira mas nem tudo volta ao que era antes. E quem violar as regras, está sujeito a multa.

Bares e restaurantes podem a partir desta quarta-feira e até ao dia 25 de abril, apenas em regime de esplanada entre as 6h e as 18h. Até aqui, e desde novembro passado, apenas as cozinhas dos restaurantes podiam abrir para entregas ao domicílio e take away

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Horeca volta às ruas em protesto no dia 2 de abril
Na sequência do anúncio da abertura de esplanadas feito pelo primeiro-ministro, Xavier Bettel, propretários de bares, cafés e restaurantes garantem voltar à rua em protesto contra as condições apresentadas pelo Governo.