Escolha as suas informações

Que impacto terá a invasão russa na economia do Luxembugo?
Economia 5 min. 25.02.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Que impacto terá a invasão russa na economia do Luxembugo?

Guerra na Ucrânia

Que impacto terá a invasão russa na economia do Luxembugo?

Foto: dpa-tmn
Economia 5 min. 25.02.2022 Do nosso arquivo online
Guerra na Ucrânia

Que impacto terá a invasão russa na economia do Luxembugo?

Marco MENG
Marco MENG
O ataque russo à Ucrânia terá um impacto económico na Europa e no Luxemburgo. As sanções serão seguidas de contra-sanções.

A invasão da Ucrânia terá também um impacto económico na Europa e no Luxemburgo. De acordo com a Câmara de Comércio, em 2020 o Grão-Ducado exportou 80 milhões de euros de bens para a Ucrânia e 91 milhões de euros em serviços, incluindo 11 milhões de euros em serviços financeiros, e importou 17 milhões de euros de bens e 51 milhões de euros em serviços, incluindo 6 milhões de euros em serviços financeiros. 

Para a Rússia em 2020, o Luxemburgo exportou bens no valor de 407 milhões de euros e 191 milhões em serviços, dos quais cinco milhões em serviços financeiros, e importou bens no valor de 112 milhões de euros e 197 milhões em serviços, dos quais 18 milhões em serviços financeiros. 

Para o Luxemburgo, a Rússia ocupa o  16º lugar como parceiro comercial. Neste contexto, o império gigante é mais dependente da UE do que vice-versa: enquanto a UE é o parceiro comercial nº 1 da Rússia em termos de importações e exportações, bem à frente da China, a Rússia ocupa o quinto lugar da UE em termos de exportações, depois dos EUA, China, Reino Unido e Suíça como parceiros comerciais, e o quarto em termos de importações, com uma quota de 6%. 

Em Dezembro de 2021, o volume total do comércio da União Europeia com a Rússia era de cerca de 24,5 mil milhões de euros. Também devido aos elevados preços da energia, a UE teve um défice comercial com a Rússia de cerca de 9,06 mil milhões de euros em Dezembro. 

Um dos principais fornecedores de energia

A Europa compra principalmente gás natural e petróleo à Rússia. Uma parte considerável do gás da rede luxemburguesa provém da Sibéria. 


Que consequências tem a guerra para o abastecimento de energia do Luxemburgo?
Mesmo antes da invasão russa, os preços do gás eram extremamente elevados. O ministro da energia não vê a segurança do abastecimento em risco.

Depois do chanceler alemão ter colocado o gasoduto Nord Stream 2 "em espera" no início desta semana, o ex-presidente e vice-presidente do Conselho de Segurança russo Dmitry Medvedev ameaçou no Twitter: "Bem-vindo a um novo mundo onde os europeus pagarão em breve 2.000 euros por 1.000 metros cúbicos de gás". O que significa cerca de 75% mais do que em meados de Fevereiro. 

Na quarta-feira, a União Europeia impôs sanções a indivíduos e empresas que ajudaram a minar a integridade da Ucrânia. Estas incluem as três instituições financeiras russas Bank Rossiya, Promzvyazbank e VEB.RF. Seguir-se-ão as contra-sanções do Kremlin. Empresas industriais como Paul Wurth, que estão activas na Rússia e na Ucrânia, estão a sentir os efeitos, tal como a Accumalux com a sua fábrica russa em Tolyatti. 

A ArcelorMittal, o maior investidor estrangeiro na Ucrânia, diz ter "preparado planos de contingência para proteger os empregados e, na medida do possível, os activos". A fábrica do fabricante de aço está situada a 200 quilómetros dos territórios declarados "independentes" por Putin. 

Com uma sucursal do Gazprombank e com o East-West United Bank (EWUB), fundado no Luxemburgo em 1974 como Banco da União Soviética, existem duas instituições financeiras com raízes russas no centro financeiro. O que é especial na EWUB é que embora tenha um proprietário russo, Vladimir Yevtushenkov, está sediado no Luxemburgo e não na Rússia. "Como banco luxemburguês, gostaríamos de nos abster de comentar a situação política na Rússia e na Ucrânia", diz o banco. Nem Yevtushenkov, nem a EWUB, nem a empresa de Yevtushenkov Sistema estão na lista de sanções. No entanto, o conflito é também susceptível de perturbar os negócios da EWUB, uma vez que é largamente activa tanto na Rússia como na Ucrânia. 

As sanções também se destinam a dificultar o acesso do governo russo aos mercados de capitais e financeiros e aos serviços da UE. A medida sancionatória mais dura é a possível exclusão da Rússia do sistema de pagamentos internacionais (Swift). As perturbações significativas nas transacções de pagamento com a Rússia seriam a consequência. Os EUA também ameaçam sancionar directamente o Banco Central da Federação Russa e a sua capacidade de ter acesso a dólares americanos. 

Limitações  no espaço aéreo

"A Cargolux está a acompanhar a situação e tomará as medidas adequadas se necessário", informa a empresa de carga aérea sediada no Luxemburgo. Mesmo quando a Rússia anexou a Crimea e foi atingida com sanções globais, o Kremlin ameaçou revogar os direitos de voo das companhias aéreas internacionais sobre o maior país do mundo. 

O Acordo de Trânsito que entrou em vigor em 1945, e que garante que todos os países participantes garantem mutuamente direitos de sobrevoo sem restrições, nunca foi assinado pela Rússia. 

Se companhias aéreas como a Cargolux já não puderem utilizar o espaço aéreo russo, terão de fazer consideráveis desvios de voo. O transporte aéreo de mercadorias não só demoraria muito mais tempo - também se tornaria consideravelmente mais caro. De acordo com a autoridade de aviação russa, houve uma média de 532 sobrevôos por dia no ano passado. Uma proibição de voos custaria assim muito dinheiro a companhias aéreas como a Cargolux. Nos últimos anos, o Kremlin já demonstrou várias vezes que não tem medo de proibir as companhias aéreas de sobrevoar o país. Em 2008, a LufthansaCargo não foi autorizada a utilizar a rota Trans-Siberiana porque estava "em atraso com os pagamentos". E em 2014, o Kremlin revogou brevemente os direitos de tráfego das companhias aéreas europeias, em resposta às sanções da UE. Em 2017, a KLM não foi autorizada a voar através da Federação Russa porque Moscovo sentiu que as companhias aéreas russas estariam em desvantagem nos direitos de aterragem no aeroporto de Amesterdão. E em 2018, as companhias aéreas americanas foram atingidas: em "resposta às acções militares dos EUA na Síria". 

Quando Putin foi eleito pela primeira vez como candidato presidencial em 2000, correram rumores na Rússia que o antigo membro do KGB queria voltar atrás no tempo em direcção à União Soviética. 

No início de Fevereiro, o país tinha posto de lado moeda estrangeira no valor de cerca de 560 mil milhões de euros. Isto corresponde à totalidade das exportações russas de dois anos.

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas