Escolha as suas informações

Quase metade das empresas do Luxemburgo não tem trabalhadores
Economia 22.02.2021

Quase metade das empresas do Luxemburgo não tem trabalhadores

Quase metade das empresas do Luxemburgo não tem trabalhadores

LW
Economia 22.02.2021

Quase metade das empresas do Luxemburgo não tem trabalhadores

Há mais dados sobre o tecido empresarial luxemburguês: 48,5% das empresas não tem qualquer funcionário além dos gestores e ou proprietários.

As chamadas pequenas empresas estão em maior número no Grão-Ducado, já que metade têm apenas entre cinco a 19 trabalhadores. Esta é uma das conclusões do Statec num estudo sobre a estrutura empresarial do Luxemburgo, mas há mais. 

De facto, quase metade das empresas sediadas no país não têm sequer um trabalhador. Mais especificamente, 48,5% dos negócios luxemburgueses não emprega absolutamente ninguém além dos gestores e ou proprietários. 

De facto, a consultoria e a gestão estão entre as atividades mais representadas no tecido empresarial do país. 

Seguem-se as empresas com um ou até quatro assalariados: 29%. Dentro dos negócios considerados pequenos são poucas as que chegam aos três dígitos. O estudo do Statec mostra que apenas 190 empresas têm até 250 trabalhadores. 

Mais empresas, apesar da covid-19 

Num ano particularmente atípico, o país destaca-se pela continua criação de empresas. De acordo com o Statec, nunca o Luxemburgo registou tantas empresas. No espaço de um ano, surgiram 1.484 novos negócios no Grão-Ducado. Em dez anos há um aumento de 20%. Neste momento há 37.807 estruturas registadas, em comparação com 36.323, no ano passado ano antes e 35.113 no ano anterior.

Em termos de setores, as "atividades especializadas, científicas e técnicas" surgem com 8.898 empresas. Além da consultoria, o setor inclui ainda profissões da área jurídicas, da arquitectura, publicidade e desenvolvimento científico. Segue-se o comércio com 7.820 empresas. Atrás, surge a construção com 4.366.

Quanto à geografia, a maior parte das empresas - 41,5% - está registada na capital. Em segundo lugar surge Esch-sur-Alzette com 21,4%

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Há mais ajudas financeiras para as empresas luxemburguesas
A Câmara dos Deputados aprovou um novo pacote financeiro para cobrir os custos fixos e compensar os patrões pelo aumento do salário social mínimo. Para médias e grandes empresas o subsídio pode chegar aos 200 mil euros. Também há novidades no desemprego parcial.
Em 2015: Falências aumentaram no Luxemburgo
O número tinha sido avançado em Janeiro pela instituição alemã Creditreform mas, só agora, foi oficialmente confirmado pela Secretária de Estado da Economia, Francine Closener. No ano passado, 873 empresas declararam falência no Luxemburgo, um aumento de 3,3% face a 2014.
Estudo: Número de empresas de trabalho manual subiu 85% nos últimos 25 anos
O número de empresas que se dedicam a actividades que implicam trabalho manual subiu 85% nos últimos 25 anos (entre 1990 e 2015). De acordo com um relatório da Chambre des Métiers, o número de empresas é de 6.890. Relativamente a 2014 houve um aumento de 4,4%, o que significa que foram criados mais 1.391 negócios.
Havia 6.890 empresas no sector do artesanato em 2015