Escolha as suas informações

Preços do gás desceram na primeira metade deste ano na UE mas subiram no Luxemburgo
Economia 2 min. 20.10.2021
Energia

Preços do gás desceram na primeira metade deste ano na UE mas subiram no Luxemburgo

Energia

Preços do gás desceram na primeira metade deste ano na UE mas subiram no Luxemburgo

AFP
Economia 2 min. 20.10.2021
Energia

Preços do gás desceram na primeira metade deste ano na UE mas subiram no Luxemburgo

Ana TOMÁS
Ana TOMÁS
No mesmo período, os preços médios da eletricidade doméstica nos Estados-membros aumentaram ligeiramente em comparação com 2020.

A evolução dos preços do gás no Luxemburgo, na primeira metade deste ano, seguiu uma evolução ascendente, em contraciclo com a tendência dominante na União Europeia (UE), no mesmo período.

Os preços médios do gás registaram nos primeiros seis meses de 2021 uma trajetória de descida, face a igual período de 2020, diminuindo ligeiramente para 6,4 euros por 100 kWh, nos 20 dos 23 Estados-membros da UE que comunicaram os preços do gás natural no sector doméstico, refere o estudo publicado, esta quarta-feira, pelo Eurostat.


Von der Leyen pede "verdadeiro trabalho de equipa europeu" para lidar com crise energética
Von der Leyen reforçou que este é um fenómeno global.

Contudo, em três países, entre os quais o Grão-Ducado, observou-se a tendência inversa. Os preços aumentaram na Dinamarca (19%), Alemanha (8%) e Luxemburgo (6%). 

As razões para esta subida em contraciclo não foram as mesmas nos três países. Enquanto na Dinamarca foi o custo da energia o principal responsável pelo aumento dos preços, na Alemanha e no Luxemburgo foram os impostos que desencadearam essa subida.

Nos 20 países que registaram descidas, as maiores diminuições de preços verificaram-se na Lituânia (-23%), seguida da Eslováquia (-10%) e da Polónia (-9%).

Em termos absolutos, os preços médios do gás doméstico no primeiro semestre de 2021 foram mais baixos na Lituânia (2,8 euros por 100 kWh), Letónia (3 euros) e Hungria (3,1 euros) e mais elevados nos Países Baixos (9,6 euros), Dinamarca (9 euros) e Portugal (7,6 euros).

Eletricidade aumentou na primeira metade do ano

No que se refere à eletricidade, os aumentos não começaram apenas há umas semanas. 

De acordo com o mesmo relatório, na primeira metade de 2021, os preços médios da eletricidade doméstica, na UE, aumentaram ligeiramente em comparação com o mesmo período de 2020, passando de 21,3 euros por 100 kWh para 21,9 euros por 100 kWh.


Planos para produção de combustíveis fósseis "excedem largamente" os limites climáticos
Apesar das crescentes promessas de acção de muitas nações, os governos ainda não fizeram planos para reduzir a produção de combustíveis fósseis, apontou o relatório das Nações Unidas.

Os preços aumentaram em 16 Estados-membros, tendo a maior subida sido registada na Eslovénia (+15%), seguindo-se a Polónia (+8%) e a Roménia (+7%). Já as maiores diminuições foram observadas nos Países Baixos (-10%) - onde a descida dos preços se deveu, sobretudo, às reduções fiscais -, no Chipre (-7%) e na Lituânia (-6%). 

Em termos totais, os preços médios da eletricidade doméstica, na primeira metade de 2021, foram mais baixos na Hungria (10 euros por 100 kWh), Bulgária (10,2 euros) e Malta (12,8 euros) e mais altos na Alemanha (31,9 euros), Dinamarca (29 euros), Bélgica (27 euros) e Irlanda (25,6 euros). 





Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O preço da gasolina vai descer a partir da meia-noite. A redução será de 1,7 cêntimos. Assim, a gasolina 95 vai passar a custar 1,20 e o litro de 98 passará a custar 1,27 euros.