Escolha as suas informações

Preços das casas dispararam 50% entre 2010 e 2018 no Luxemburgo
Economia 19.06.2019

Preços das casas dispararam 50% entre 2010 e 2018 no Luxemburgo

Preços das casas dispararam 50% entre 2010 e 2018 no Luxemburgo

Foto: Guy Jallay
Economia 19.06.2019

Preços das casas dispararam 50% entre 2010 e 2018 no Luxemburgo

Só no ano passado, as casas ficaram 7,1% mais caras face 2017 no Grão-Ducado, o maior aumento desde 2008.

Os preços das casas aumentaram 50% entre 2010 e 2018 no Luxemburgo. Dados do Eurostat publicados hoje permitem concluir que este foi um dos maiores aumentos entre os países da União Europeia (UE).

Há casos ainda mais graves: na Estónia, os preços dispararam 86% no período analisado, na Letónia subiram 61%, e a Áustria e a Suécia tiveram aumentos superiores a 50%. Itália (-17%), Espanha (-12%) e Chipre (-8%) foram os países com as maiores quedas.

Na UE, a tendência geral foi de aumento: os preços das casas – que incluem aquisições de apartamentos e casas novos e já existentes – aumentaram 15%. Na zona euro, a subida foi de 11%. Os preços tiveram flutuações significativas desde 2006. Depois de um crescimento anual de cerca de 8% em 2006 e 2007, seguiu-se uma queda de 4% em 2009 devido à crise financeira. Os valores voltaram a subir de forma constante a partir de 2014. Foi em 2009, que o Luxemburgo sentiu a única queda de preços: altura em que caíram 1,2%.

Só no ano passado, as casas ficaram 7,1% mais caras face 2017 no Grão-Ducado, o maior aumento desde 2008 (primeiro ano para o qual estão disponíveis dados sobre o Luxemburgo no Eurostat). Em Portugal, a subida foi de 10,3%.


Autarquias querem aumentar parque imobiliário público
Governo está a ouvir as comunas do país para recolher sugestões para o futuro Pacto para a Habitação 2.0.

O problema dos elevados preços das casas tem sido levantado por vários organismos internacionais. No Artigo IV dedicado ao Luxemburgo, o Fundo Monetário Internacional (FMI) adverte que os preços estão 7,5% sobrevalorizados e alerta para o elevado endividamento das famílias com a habitação. O Eurostat também analisou a carga que as famílias suportam para pagar a sua habitação: a percentagem de pessoas para quem a casa é um fardo mais do que duplicou entre 2010 e 2018, de 4,7%, para 10%. A média europeia é pouco mais alta, uma vez que está nos 10,4%.


Governo regional de Berlim congela rendas por cinco anos
A medida tem efeitos retroativos para impedir que proprietários aumentem as rendas antes da aplicação da lei.

Por outro lado, a relação proprietário e inquilino também é avaliada. Quase 75% dos residentes são proprietários de casa no Grão-Ducado, enquanto 25,3% são inquilinos.

P.C.S.


Notícias relacionadas

Habitação: Preço das casas continua a aumentar
O preço das casas subiu 6,8% no Luxemburgo nos primeiros três meses do ano, face ao período homólogo de 2016, de acordo com o Eurostat. Este aumento representa uma subida acima das médias registadas para a zona euro e para a União europeia (UE).