Escolha as suas informações

Luxemburgo foi o país da UE com a maior subida anual dos combustíveis
Economia 26.10.2021 Do nosso arquivo online
Energia

Luxemburgo foi o país da UE com a maior subida anual dos combustíveis

Energia

Luxemburgo foi o país da UE com a maior subida anual dos combustíveis

Economia 26.10.2021 Do nosso arquivo online
Energia

Luxemburgo foi o país da UE com a maior subida anual dos combustíveis

Preço de combustíveis para uso privado atingiu pico de 22,9%, em setembro, na União Europeia.

O preço dos combustíveis e lubrificantes para o transporte privado na União Europeia (UE) teve em setembro um pico de 22,9% e, entre os Estados-membros, o Luxemburgo foi o país com a maior subida anual.

Segundo os dados do Eurostat, gabinete estatístico europeu, entre os 27 países comunitários, o Grão-Ducado registou uma subida de 30,7%, o maior aumento anual no conjunto da UE. Seguiram-se a Roménia (29,3%) e a Eslovénia (28,7%).


Luxemburgo contra reforma do mercado de energia
Nove países, entre os quais o Grão-Ducado e a Alemanha, opõe-se ao pedido de Paris para dissociar os preços da eletricidade e do gás.

Já a Irlanda (15%), Itália (17,5%), Finlândia (17,8%) e Grécia (18,1%) apresentaram as menores subidas dos preços dos combustíveis e lubrificantes para uso privado.

Em Portugal, os preços tiveram, em setembro, uma inflação homóloga de 19,5%, tendo sido registado um pico de 21,6% em maio. 

Em maio, os preços dos combustíveis e lubrificantes tinha apresentado uma taxa de inflação anual de 22,7% na UE.  

De acordo com dados do Eurostat, a volatilidade dos preços dos combustíveis para uso privado chegou em setembro a um pico de 22,9%, face a um mínimo de -20% de inflação anual registado em maio de 2020 - com o indicador a variar entre -20% e +20% nas últimas duas décadas.

com Lusa



Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O preço das casas no Luxemburgo disparou na última década. O gabinete europeu de estatística (Eurostat) fez as contas e concluiu que o Luxemburgo é o segundo Estado-membro com a maior subida dos preços na habitação entre 2010 e o primeiro trimestre de 2021.
A taxa de inflação anual manteve-se nos 1,3% na zona euro no passado mês de julho, comparativamente com a do mês anterior, segundo o Gabinete de Estatísticas da União Europeia (Eurostat). No Luxemburgo rondou 1,8%.