Escolha as suas informações

Ecofin aprova plano de recuperação e resiliência do Luxemburgo
Economia 13.07.2021
PPR

Ecofin aprova plano de recuperação e resiliência do Luxemburgo

Comissário para a Economia da UE, Paolo Gentiloni, Ministro das Finanças do Luxemburgo, Pierre Gramegna, e o Vice-Presidente do Banco Cetral Europeu, Luis de Guindos, durante a reunião do Conselho Ecofin.
PPR

Ecofin aprova plano de recuperação e resiliência do Luxemburgo

Comissário para a Economia da UE, Paolo Gentiloni, Ministro das Finanças do Luxemburgo, Pierre Gramegna, e o Vice-Presidente do Banco Cetral Europeu, Luis de Guindos, durante a reunião do Conselho Ecofin.
AFP
Economia 13.07.2021
PPR

Ecofin aprova plano de recuperação e resiliência do Luxemburgo

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O Conselho Ecofin aprovou hoje os primeiros 12 planos de recuperação e resiliência (PRR), entre os quais o do Luxemburgo, que nas próximas semanas deverá receber o primeiro desembolso do ‘bolo’ global de 93 milhões de euros.

Reunidos em Bruxelas, os ministros das Finanças da UE aprovaram formalmente, sem surpresa, o primeiro pacote de planos já validados pela Comissão Europeia para os Estados-membros acederem aos fundos do pacote de recuperação económica ligada à pandemia.

Além do Luxemburgo e Portugal, há mais 10 países que vão receber o primeiro pacote de ajuda, enquanto os 15 restantes Estados-membros deverão esperar mais tempo até verem aprovados os seus planos.

Os primeiros fundos a serem libertados representam 13% do montante total de cada PRR, o que no caso do Luxemburgo corresponde a 12 milhões euros do total de 93 milhões financiados pela União Europeia.

À parte deste montante, o Estado luxemburguês vai financiar o seu PRR com mais 90 milhões de euros, perfazendo um total de 183 milhões de euros destinados a projetos de coesão e resiliência social, transição verde e digitalização, inovação e governança. 

Os países do bloco comunitário vão ter acesso a um total de 750 mil milhões de euros para financiar a recuperação económica ligada à pandemia.  

Com Lusa

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas