Escolha as suas informações

Patrões compensados com 500 euros à cabeça pelo aumento do salário mínimo
Economia 2 min. 03.12.2020

Patrões compensados com 500 euros à cabeça pelo aumento do salário mínimo

Patrões compensados com 500 euros à cabeça pelo aumento do salário mínimo

Foto: Lex Kleren
Economia 2 min. 03.12.2020

Patrões compensados com 500 euros à cabeça pelo aumento do salário mínimo

Por cada trabalhador abrangido pelo aumento do salário mínimo luxemburguês, o Governo vai pagar 500 euros

Já são conhecidos os pormenores do pacote de compensação que o Executivo luxemburguês criou para compensar os patrões pelo aumento do salário mínimo previsto para o primeiro dia do próximo ano. Anunciada em novembro, a subida de 2,8% vai ser compensada com 500 euros à cabeça. 

Quer isto dizer que, por cada trabalhador que receba a remuneração mínima nacional, o Governo pretende atribuir o montante acima mencionado. 

A compensação é exclusiva para os setores considerados vulneráveis. Note-se que, no Grão-Ducado, à exceção do setor financeiro e imobiliário, todos os outros setores sofreram, e continuam a sofrer perdas substâncias associadas à pandemia do novo coronavírus. 

Vale 500

Em forma de aviso, a Union des Entreprises Luxembourgeoises já tinha condenado a opção do Executivo, estimando que a medida pese cerca de 60 milhões de euros nos bolsos das empresas atingidas pelos impactos da crise sanitária. 

Assim, de acordo com a apresentação do projeto lei 7718, o ministro das Classes Médias, Lex Delles, confirmou que o Governo tem a intenção de comparticipar o aumento do salário mínimo luxemburguês. 

No centro da questão estão sobretudo as empresas do setor da restauração e da hotelaria com paragem forçada até 15 de dezembro. Depois da indústria, são até setores onde se verifica o recurso massivo aos contratos a tempo inteiro com o salário mínimo legal. 

Assim, apenas os processos de estruturas em comprovada dificuldade receberão o apoio do Estado, ficando assim excluídos os casos em que os empresários já tivessem as contas no vermelho antes da pandemia. 

Troca por troca 

Numa altura em que taxa de desemprego se situa nos 6,3%, com os sindicatos a negociar e as administrações a ameaçar planos sociais, o Executivo liderado por Xavier Bettel também decidiu aumentar o chamado "subsídio de vida cara" em 10% para "manter o poder de compra neste momento de crise no Luxemburgo". 

Nas contas do Governo, esta compensação vai beneficiar 19 mil famílias. É a moeda de troca pela introdução do novo "imposto verde" sob as emissões de CO2 que promete fazer disparar o preço dos combustíveis que, "em média este ano", estima o ministro da Energia Claude Turmes, "terá um impacto nas de 150 euros em despesas adicionais". 




Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas