Escolha as suas informações

Para onde vão os navios com cereais ucranianos?
Economia 2 min. 16.08.2022
Mar Negro

Para onde vão os navios com cereais ucranianos?

Mar Negro

Para onde vão os navios com cereais ucranianos?

Foto: AFP
Economia 2 min. 16.08.2022
Mar Negro

Para onde vão os navios com cereais ucranianos?

Lusa
Lusa
21 navios já foram autorizados a sair dos portos da Ucrânia desde o início do mês.

Turquia, Irão e Coreia do Sul são os principais destinos das exportações de alimentos ucranianos pelo Mar Negro, indicaram hoje fontes oficiais, acrescentando que 21 navios foram autorizados a sair dos portos da Ucrânia desde o início do mês.

Num comunicado divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), o centro de coordenação conjunta (CCC) da denominada "Iniciativa de grãos do Mar Negro" indicou que autorizou um total de 36 movimentos de navios (21 de saída e 15 de entrada) através do corredor marítimo humanitário no Mar Negro para facilitar a exportação segura de cereais, alimentos e fertilizantes, dos portos ucranianos.


EUA anunciam compra de trigo ucraniano para doar a países pobres
As 150 mil toneladas de trigo, que correspondem a 68 milhões de dólares (66,8 milhões de euros), serão compradas e enviadas para países que sofrem de "fome severa e subnutrição" no Corno de África.

Durante este período, 21 navios foram autorizados a sair dos portos ucranianos de Odessa (11), Chornomorsk (6) e Yuzhny/Pivdennyi (4) no âmbito da iniciativa.

Essas embarcações transportam cerca de 563.317 toneladas métricas de grãos e outros alimentos, de acordo com o CCC.

O centro de coordenação conjunta especificou ainda que desse total, 451.481 toneladas são de milho, 50.300 toneladas de farinha de girassol, 41.622 de trigo, 11.000 de grãos de soja, 6.000 de óleo de girassol e 2.914 toneladas de semente de girassol.

Entre os destinos, destacam-se Turquia (26 por cento do total), Irão (22%), Coreia do Sul (22%), entre outros países como a China, irlanda ou Itália, segundo a iniciativa lançada pela Rússia, Turquia, Ucrânia e ONU através de acordos assinados separadamente pela Rússia e pela Ucrânia.

A caminho do Djibuti, país do corno de África, estão 23.000 toneladas de trigo compradas pelo Programa Mundial de Alimentos (PAM) para contribuir para a resposta à seca na Etiópia.

"As rotas dos navios comerciais e a propriedade da carga são determinadas através da atividade comercial e podem mudar durante a rota", esclareceu ainda o CCC.

De 01 a 15 de agosto, o CCC realizou 27 inspeções através das suas equipas conjuntas de inspeção em navios de entrada e saída. Todos os navios inspecionados até ao momento foram autorizados a prosseguir.

Insegurança alimentar está em níveis recordes 

"Como parte das suas responsabilidades, o CCC tem monitorizado de perto o movimento de entrada e saída de navios através do corredor marítimo humanitário no Mar Negro. Até agora, observou em duas ocasiões navios que se desviaram do corredor e respondeu adequadamente contactando os capitães e aconselhando-os a seguir as coordenadas", diz o comunicado.

A Iniciativa de Grãos do Mar Negro visa responder à alta inflação dos preços dos alimentos e à insegurança alimentar global, causada pela guerra da Rússia na Ucrânia.

A insegurança alimentar está em níveis recordes, com dezenas de milhões de pessoas em risco de fome em todo o mundo.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, a Ucrânia contribui com cerca de 10,3% e 12,6% das exportações globais de trigo e milho, respetivamente. A sua participação nos produtos de girassol (sementes e óleo) é de 48,2%.

O reinício das exportações libertará espaço de armazenamento na Ucrânia e evitará desperdícios. Também garantirá uma cadeia de abastecimento de alimentos para esta e colheitas subsequentes, segundo a CCC.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O bloqueio russo à saída de cereais da Ucrânia pode provocar uma fome à escala mundial, sobretudo em África. A UE, os EUA e as Nações Unidas pedem à Rússia para permitir corredores de transporte para outros portos europeus. “Entrámos na era da diplomacia alimentar”, disse o chefe das Relações Externas da UE.
Em 2021, a Rússia e a Ucrânia estavam entre os maiores exportadores de cereais e sementes de girassol.