Escolha as suas informações

Panama Papers. Luxemburgo recuperou 2,1 milhões de euros
O escritório de advogados Mossack Fonseca esteve na origem de uma teia internacional de evasão fiscal, entre 1970 e 2016.

Panama Papers. Luxemburgo recuperou 2,1 milhões de euros

AFP
O escritório de advogados Mossack Fonseca esteve na origem de uma teia internacional de evasão fiscal, entre 1970 e 2016.
Economia 08.04.2019

Panama Papers. Luxemburgo recuperou 2,1 milhões de euros

O escândalo de evasão fiscal, conhecido por “Panama Papers”, rebentou há três anos. Desde então o Grão-Ducado recuperou pouco mais de dois milhões de euros.

A quantia recuperada pelo Luxemburgo e outros 21 países envolvidos no escândalo foi revelada pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), que esteve na origem das revelações do sistema de evasão fiscal.

Nos últimos três anos, os 22 Estados conseguiram recuperar mais de mil milhões de euros (1,2 mil milhões de dólares). O Reino Unido foi o que mais dinheiro recuperou, totalizando 225 milhões de euros.

Nos países vizinhos, a Alemanha recuperou 163 milhões de euros, a França 120 milhões e a Bélgica 16,7 milhões.

Os “Panama Papers’ ou Papéis do Panamá, em português, é um vasto sistema de evasão fiscal orquestrado pelo escritório de advogados do Panamá, Mossack Fonseca.

A investigação do ICIJ revelou a presença em paraísos fiscais de bens detidos nomeadamente por 140 responsáveis políticos, jogadores de futebol ou milionários.

Manuela Pereira


Notícias relacionadas