Escolha as suas informações

Pagamento da segunda prestação do IMI começa esta segunda-feira
Economia 01.08.2022
Portugal

Pagamento da segunda prestação do IMI começa esta segunda-feira

Portugal

Pagamento da segunda prestação do IMI começa esta segunda-feira

Economia 01.08.2022
Portugal

Pagamento da segunda prestação do IMI começa esta segunda-feira

Lusa
Lusa
Quem possuir um IMI superior a 500 euros e não tenha liquidado a totalidade em maio, deve pagar este mês a nova prestação.

Os contribuintes com um valor de IMI superior a 500 euros e que não tenham optado em maio pelo pagamento integral do imposto, podem começar a pagar a segunda prestação do imposto a partir desta segunda-feira, 1 de agosto.

O pagamento do IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) arrancou em maio, com a emissão de 4.009.718 notas de liquidação, das quais 895.969 eram de valor inferior a 100 euros, gerando, por isso, uma nota de pagamento único.

Para as restantes, o pagamento é desdobrado em duas ou três prestações, a serem pagas em maio e novembro ou maio, agosto e novembro, caso o seu valor esteja balizado entre, respetivamente, os 100 e os 500 euros ou supere os 500 euros.

De acordo com os dados da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), do total de liquidações emitidas, há 679.435 de valor acima dos 500 euros, cuja segunda prestação pode ser paga a partir de hoje e até ao final deste mês caso os proprietários em causa não tenham optado pelo pagamento integral em maio.

De acordo com fonte oficial da AT este ano (para o IMI relativo a 2021) foram pagas integralmente em maio, dentro do prazo, um total de 580.811 notas de liquidação de valor acima dos 100 euros.


Pagar casa de 100 m2? 15,8 anos de salários no Luxemburgo e 11,4 anos em Portugal
Em 2000, o estudo indicava que o mesmo tipo de imóvel era pago com seis anos de salários no Grão-Ducado.

Este número traduz uma subida de 3,85% face aos que no ano passado usaram esta opção de pagamento do Imposto Municipal sobre os Imóveis numa única vez.

As taxas do IMI são anualmente fixadas pelas autarquias, num intervalo entre 0,3% e 0,45% (para os prédios urbanos), cabendo-lhes também decidir sobre a adesão ao IMI familiar, mecanismo que dá um desconto às famílias residentes, ou sobre a aplicação das taxas agravadas nos prédios devolutos ou em ruínas.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas