Escolha as suas informações

OGBL quer que indexação do abono de família entre já em vigor
Economia 28.01.2021 Do nosso arquivo online

OGBL quer que indexação do abono de família entre já em vigor

OGBL quer que indexação do abono de família entre já em vigor

Foto: Chris Karaba
Economia 28.01.2021 Do nosso arquivo online

OGBL quer que indexação do abono de família entre já em vigor

Diana ALVES
Diana ALVES
Sindicato questiona o porquê da espera, sobretudo em plena crise.

A central sindical OGBL quer que a anunciada indexação do abono de família entre já em vigor. Reagindo à notícia sobre a intenção do Governo em avançar com a medida em janeiro de 2022, o sindicato questiona o porquê da espera, sobretudo em plena crise. 

Numa nota à imprensa, a OGBL alerta para a importância de "estimular o poder de compra das famílias, sabendo que muitos trabalhadores sofreram perdas de rendimento devido às diferentes medidas governamentais para conter o coronavírus". "As pessoas precisam de um incentivo agora, e não apenas daqui a um ano", diz o sindicato.

A estrutura sindical frisa também que o mecanismo de indexação do abono de família que o Governo tenciona implementar fica aquém daquilo que foi acordado em novembro de 2014 entre Executivo e sindicatos. A OGBL lembra que esse acordo previa um mecanismo de adaptação das prestações familiares ao custo de vida e à evolução dos salários, acrescentando que "o Governo não respeitou o acordo". 


Abono de família abrangido pela indexação a partir de 2022. LCGB quer mais
O sindicato reivindica que o montante mensal passe dos atuais 265 euros por mês para 285.

O maior sindicato do país lamenta ainda que o Governo não equacione uma forma de compensar as perdas causadas pelo fim da indexação das prestações familiares, em 2006, que, segundo diz, ascendem aos 20%. E aproveita para lembrar a proposta da Câmara dos Assalariados, que reivindica uma revalorização imediata de 7,7% de todas as prestações familiares, tendo em conta a evolução dos preços desde 2014. A OGBL entende que uma medida do género, com efeitos retroativos, serviria para consolidar o poder de compra das famílias, pedindo a sua implementação "imediatamente".

De acordo com o Luxemburger Wort, que cita a comissão parlamentar da saúde, o Governo tenciona avançar com a indexação do abono de família a partir de 1 de janeiro de 2022. Na prática significa que quando os salários e pensões forem adaptados à inflação, o abono também será. A próxima indexação está prevista para meados do próximo ano. Entretanto a LCGB reivindicou também que o montante único do abono passe dos atuais 265 para 285 euros mensais.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas