Escolha as suas informações

OGBL preocupada com venda da participação do Estado no grupo Paul Wurth
Economia 19.02.2021

OGBL preocupada com venda da participação do Estado no grupo Paul Wurth

OGBL preocupada com venda da participação do Estado no grupo Paul Wurth

Photo: Gerry Huberty
Economia 19.02.2021

OGBL preocupada com venda da participação do Estado no grupo Paul Wurth

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O Estado vai vender os 40% da sua participação na empresa Paul Wurth ao grupo alemão SMS, que detém os restantes 60%.

Numa primeira reação, a central sindical OGBL manifesta em comunicado algum receio quanto a esta operação. A OGBL questiona-se sobre as garantias a longo prazo para a manutenção do emprego e lamenta ainda a venda da participação estatal numa das tradicionais empresas luxemburguesas (completou 150 anos em 2020) a um grupo privado.

A OGBL e a empresa Paul Wurth assinaram no ano passado um plano de manutenção de emprego válido até 2023, que exclui despedimentos por razões económicas, e uma nova convenção coletiva até dezembro também de 2023.

Mas de acordo com o jornal Wort, que cita o secretário central adjunto da OGBL, Kevin Dechmann, a preocupação da central sindical é saber se de aqui a quatro ou cinco anos, as garantias negociadas serão as mesmas.

O Estado luxemburguês tem uma participação direta de 10,98% das ações da Paul Wurth, 18,84% através da Sociedade Nacional de Crédito e Investimento (SNCI) e outros 10,98% através do Banque et Caisse d'Épargne de l'État (BCEE).

A empresa Paul Wurth é especialista em altos-fornos e vai fazer parte integrante do grupo alemão SMS, referência na construção de instalações e equipamentos para tratamento do aço e outros metais.  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.