Escolha as suas informações

OCDE alerta para os perigos que ameaçam o crescimento económico

OCDE alerta para os perigos que ameaçam o crescimento económico

Foto: AP
Economia 08.03.2017

OCDE alerta para os perigos que ameaçam o crescimento económico

Relatório confirma crescimento mundial moderado e adverte que é essencial escapar à armadilha do baixo crescimento. Incerteza política e financeira e protecionismo podem interromper o caminho da recuperação.

A confiança subiu, mas tudo o resto ainda tem provas a dar: o consumo, o investimento, o comércio, a produtividade e o crescimento económico estão longe de estar fortes. E há ameaças que podem comprometer ainda mais o andamento da economia mundial. E que riscos são estes? A incerteza política, a volatilidade dos mercados, a tendência para o protecionismo no comércio. O diagnóstico foi feito ontem pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) no seu relatório semestral de perspetivas, onde o tom é de alerta e preocupação.

O organismo liderado por Angel Gurría confirmou o crescimento mundial moderado para os próximos anos. Assim, este ano, a economia deve avançar 3,3% e voltar a crescer 3,6% em 2018. O crescimento é, no entanto, modesto e fica ainda abaixo da média de 4% registada nas décadas antes da crise financeira. Além disso, há riscos significativos que podem interromper o crescimento da economia. Por isso, a OCDE adverte que é essencial escapar à armadilha do baixo crescimento. Esta tem-se feito sentir sobretudo nos últimos cinco anos. O investimento frágil e trocas comerciais fracas potenciaram esta armadilha. Ao mesmo tempo, desenvolveram-se grandes assimetrias entre empresas, que contribuíram para aumentar a diferença entre rendimentos das famílias e reduzir o consumo. Sair deste ciclo depende, segundo a OCDE, “do impacto conjunto das escolhas das políticas macroeconómicas, estruturais e de comércio”.

(Leia o artigo na íntegra na edição do Contacto desta semana)

Paula Cravina de Sousa


Notícias relacionadas

OCDE prevê crescimento estável na zona euro
Os indicadores compósitos avançados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) continuam a indicar uma dinâmica de crescimento estável para os países da região.
OCDE quer mais reformas laborais no Luxemburgo
Elogios à reforma fiscal e aos baixos níveis de dívida pública, recomendações no mercado de trabalho e avisos quanto ao nível de exposição do setor financeiro luxemburguês ao exterior, são alguns dos pontos analisados pela OCDE.
OCDE prevê estabilização do crescimento em Portugal
A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) continua a prever uma estabilização do crescimento económico em Portugal nos próximos meses, num contexto de tendência global de estabilização das restantes economias.
O índice compósito da OCDE para Portugal estabilizou em Julho nos 100,6 pontos