Escolha as suas informações

Num ano o preço das casas aumentou 13,6% no Luxemburgo
Economia 2 min. 07.10.2021
Habitação

Num ano o preço das casas aumentou 13,6% no Luxemburgo

Desde 2010, o preço das casas no Luxemburgo aumentou 111%.
Habitação

Num ano o preço das casas aumentou 13,6% no Luxemburgo

Desde 2010, o preço das casas no Luxemburgo aumentou 111%.
Foto: Chris Karaba/Luxemburger Wort
Economia 2 min. 07.10.2021
Habitação

Num ano o preço das casas aumentou 13,6% no Luxemburgo

Tiago RODRIGUES
Tiago RODRIGUES
O preço das casas no Grão-Ducado aumentou 13,6% entre 2020 e 2021. O Eurostat divulga esta quinta-feira dados sobre o preço das habitações no segundo trimestre do ano na União Europeia (UE).

No Grão-Ducado, entre abril e junho, o indicador aumentou 13,6% em comparação com o mesmo período do ano passado. No trimestre anterior, entre janeiro e março, o aumento anual tinha sido ainda maior: 17,2%. Se comparada com os três meses anteriores, a subida é de 1,1%.

Desde 2010, o preço das casas no Luxemburgo aumentou 111%. Já o preço das rendas subiu 15% nesses 11 anos.

Na comparação com a média europeia dos últimos 11 anos (35% na UE e 30% na zona euro), os preços das casas no Grão-Ducado continuam a ser dos mais altos, deixando o país no segundo lugar do ranking, apenas atrás da Estónia (+133%) e ligeiramente à frente da Hungria (+109%).

Ao comparar o segundo trimestre de 2021 com o de 2010, o Eurostat revela que os preços das casas aumentaram mais do que as rendas em 18 Estados-membros da UE. Os preços das habitações aumentaram em 23 países da UE e diminuíram em quatro, com os maiores aumentos na Estónia, Luxemburgo e Hungria. Foram observadas descidas na Grécia (-28%), Itália (-13%), Chipre (-8%) e Espanha (-3%). 


Estará o Luxemburgo a transformar-se no Mónaco?
Prometeram-nos que no verão a “imunidade do grupo” já deveria estar a funcionar em pleno na Europa. Mas as novas vagas de contágio, provocadas pela variante Delta estão a complicar esta equação. Nunca nos devemos esquecer que a vacinação massiva continuar a ser a única solução para esta pandemia.

Nas rendas, há um padrão diferente. Na comparação homóloga, os preços aumentaram em 25 Estados-membros da UE e diminuíram em dois, com os maiores aumentos na Estónia (+142%), Lituânia (+109%) e Irlanda (+66%). Registaram-se diminuições na Grécia (-25%) e em Chipre (-3%). 

Subidas recorde na zona euro e UE   

De acordo com o gabinete estatístico europeu, os preços das casas tiveram, no segundo trimestre, aumentos recorde na comparação homóloga, de 6,8% na zona euro e 7,3% na UE.

Este é o maior aumento homólogo desde o quarto trimestre de 2006, na zona euro, e na UE desde o terceiro trimestre de 2007. Na comparação com o primeiro trimestre do ano, os preços das casas subiram, entre abril e junho, 2,6% na zona euro e 2,7% na UE.

Em 11 Estados-membros, os preços das casas tiveram um aumento homólogo de mais de 10%, com a Estónia (16,1%), a Dinamarca (15,6%) e República Checa (14,5%) a registarem as maiores subidas e tendo Chipre apresentado o único recuo (-4,9%).

Na variação trimestral, os preços das casas subiram nos 27 Estados-membros, com os principais avanços a serem observados na Letónia (6,7%), na Eslovénia (4,5%) e na Áustria (4,2%).

Em Portugal, o indicador aumentou 6,6% na comparação homóloga e 2,2% em cadeia.

(com Lusa)

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Os preços das casas no Luxemburgo aumentaram 90,5% entre o terceiro trimestre de 2010 e igual período de 2020. O país apresenta a terceira subida mais pronunciada entre todos os Estados-membros da União Europeia (UE), de acordo com o Eurostat.
Portugal registou, no segundo trimestre do ano, a segunda maior subida da taxa de emprego entre os Estados-membros da União Europeia, com um crescimento de 0,9% face ao trimestre anterior, revelam dados hoje divulgados em Bruxelas pelo Eurostat.
A subida do emprego é um bom sinal para Portugal