Escolha as suas informações

Navio com cereais ucranianos ficou sem comprador
Economia 08.08.2022
Guerra na Ucrânia

Navio com cereais ucranianos ficou sem comprador

Vista aérea do cargueiro Razoni a caminho de Trípoli, no Líbano, ao longo do Estreito do Bósforo, a 3 de agosto de 2022,
Guerra na Ucrânia

Navio com cereais ucranianos ficou sem comprador

Vista aérea do cargueiro Razoni a caminho de Trípoli, no Líbano, ao longo do Estreito do Bósforo, a 3 de agosto de 2022,
Foto: Ozan KOSE/AFP
Economia 08.08.2022
Guerra na Ucrânia

Navio com cereais ucranianos ficou sem comprador

Bloomberg
Bloomberg
O primeiro cargueiro com cereais a partir dos portos da Ucrânia, desde o início da guerra, está agora a flutuar no Mar Mediterrâneo à procura de um novo destino depois de perder o seu comprador.

A embaixada da Ucrânia em Beirute publicou na segunda-feira uma fotografia do navio Razoni e disse que a mercadoria foi rejeitada pelo seu comprador final no Líbano, devido a um atraso de cinco meses na entrega.


Adiada chegada ao Líbano do primeiro navio com cereais que saiu da Ucrânia
O navio deixou Odessa, na segunda-feira, transportando milho ucraniano e deveria chegar ao porto norte de Trípoli por volta das 10h. No sábado, terá alterado o seu ‘status’ para “encomenda”.

Trata-se do primeiro navio agrícola a deixar os principais portos do país desde a invasão da Rússia, carregado com cerca de 26.500 toneladas de milho, após um acordo recentemente negociado para reiniciar as exportações.

As dificuldades para encontrar um cliente realçam os desafios que se colocam para que os carregamentos de cereais ucranianos regressem à normalidade à medida que a guerra persiste. 

O expedidor do Razoni está à procura de um novo comprador no Líbano ou noutro lugar, de acordo com a embaixada. O seu destino mudou no domingo de "Tripoli" para "encomendar", mostram os dados de rastreio de navios. 

Nações Unidas não interferem

Uma porta-voz do Ministério da Economia do Líbano disse que o governo não está envolvido no carregamento, uma vez que a mercadoria se destinava ao setor privado. 

Também não há interferência das Nações Unidas - que ajudou a mediar o acordo de exportação de cereais - sobre o destino dos navios que partem da Ucrânia, uma vez que estas são decisões comerciais, disse um porta-voz do seu secretário-geral numa declaração esta segunda-feira.


O navio graneleiro M/V Rojen, com toneladas de milho, deixou o porto ucraniano de Chornomorsk em direção a Teesport, no Reino Unido, esta sexta-feira
Mais três navios saem de Odessa com 58 mil toneladas de cereais
Estas operações seguem o acordo alcançado a 22 de julho entre a Rússia e a Ucrânia.

Entretanto, um navio mais pequeno com milho proveniente da Ucrânia chegou ao seu destino final na Turquia esta segunda-feira. É o primeiro navio deste tipo a chegar ao terminal, disse o ministério das Infraestruturas da Ucrânia. 

Dois outros navios que partiram na mesma caravana deverão chegar aos portos de destino dentro de cerca de uma semana. No total, cerca de 10 navios partiram do país até agora.   

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas