Escolha as suas informações

Não há despedimentos para já na Guardian. OGBL retira ameaça de greve
Economia 30.11.2020

Não há despedimentos para já na Guardian. OGBL retira ameaça de greve

Não há despedimentos para já na Guardian. OGBL retira ameaça de greve

Foto: Lex Kleren/Luxemburger Wort
Economia 30.11.2020

Não há despedimentos para já na Guardian. OGBL retira ameaça de greve

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Não vai haver despedimentos na fábrica de vidro Guardian Luxguard, pelo menos para já.

A direção da empresa chegou esta segunda-feira a acordo com a OGBL e a delegação de pessoal, pondo fim ao difícil processo de negociação que se arrastava há várias semanas, anunciou a central sindical em comunicado.

Na base do conflito estava o anúncio feito no dia 19 de outubro pela direção da Guardian sobre um plano social com despedimento de 37 dos 300 trabalhadores. A OGBL avançou com ameaça de greve já que este anúncio foi feito um mês e meio depois da assinatura de um plano de manutenção de emprego, com validade para 24 meses.

Após o recurso ao processo de conciliação, o acordo assinado esta segunda-feira prevê a "suspensão dos despedimentos pela administração por quatro meses", a garantia de emprego para funcionários com 52 anos ou mais, um período de quatro meses (até 31 de março de 2021) durante o qual os trabalhadores que deixarem voluntariamente a empresa poderão beneficiar de um incentivo financeiro.


Sindicatos propõem um regresso aos anos 80 com as medidas que salvaram milhares de trabalhadores da crise do aço
Alarmadas com a vaga de despedimentos, a LCGB e a OGBL estão a pressionar o Governo para antecipar a reunião tripartida que coloca frente a frente governo, patrões e representantes dos trabalhadores. Unidades de reclassificação e "empréstimo" de trabalhadores são urgentes para travar a sangria no mercado de trabalho, dizem.

O acordo prevê também que as duas partes continuem o diálogo sobre o plano de manutenção do emprego nos próximos quatro meses, bem como encontrem soluções para os 37 trabalhadores afetados (saídas voluntárias, empréstimo temporário de mão de obra, reafetação dentro do grupo Guardian ou empresas externas, formações internas, ajuda na procura de um novo emprego, etc.).  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Guardian assina plano de manutenção de emprego
Os diretores da fábrica de vidro Guardian Luxguard, o sindicato OGBL e a delegação dos trabalhadores assinaram ontem um plano de manutenção de emprego, com validade para 24 meses, revelou esta terça a central sindical em comunicado.