Escolha as suas informações

Moscovo não recua. Europa vai ter de pagar gás russo em rublos
Economia 29.03.2022 Do nosso arquivo online
Crise na energia

Moscovo não recua. Europa vai ter de pagar gás russo em rublos

Crise na energia

Moscovo não recua. Europa vai ter de pagar gás russo em rublos

Foto: AFP
Economia 29.03.2022 Do nosso arquivo online
Crise na energia

Moscovo não recua. Europa vai ter de pagar gás russo em rublos

Lusa
Lusa
O Kremlin insistiu que a Europa terá de pagar o gás russo em rublos, rejeitando críticas do G7, numa altura em que os países ocidentais e Moscovo multiplicam sanções e contra sanções devido à ofensiva russa na Ucrânia.

"Ninguém vai entregar gás de graça. É simplesmente impossível. E só pode ser pago em rublos", afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov. 

"A situação mudou no contexto de uma guerra económica travada contra a Rússia", sublinhou, "as empresas (que comprem gás russo) devem compreender isto".

Em retaliação pelas sanções europeias adotadas por causa da ofensiva russa na Ucrânia, o Presidente Vladimir Putin anunciou na semana passada que a Rússia só aceitaria rublos no pagamento das entregas de gás à União Europeia (UE), dando às autoridades russas uma semana para desenvolverem um novo sistema de resolução dos contratos em rublos.


Encontro entre Putin e Zelensky para breve? Delegações dos dois países admitem que sim
A Ucrânia concorda com estatuto de neutralidade e a Rússia admite reduzir a força militar no país.

Na segunda-feira, os países do G7 (grupo dos países mais industrializados do mundo, composto por Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido, e com a União Europeia representada) disseram que exigir o pagamento em rublos "não é aceitável".

Esta posição foi anunciada pelo ministro da Economia alemão, Robert Habeck, que apelou às empresas envolvidas para "não satisfazerem as exigências de Putin" e qualificou a Rússia como um "fornecedor pouco fiável". "A Rússia sempre foi, é e continuará a ser um fornecedor fiável de hidrocarbonetos", respondeu hoje o porta-voz do Kremlin.

Na quinta-feira, o governo russo, o Banco Central e o gigante russo do gás, a Gazprom, deverão apresentar a Vladimir Putin um relatório sobre a implementação do sistema de pagamentos em rublos.

O gás russo é crucial para a UE, que procura desde o início da ofensiva militar na Ucrânia encontrar formas de obviar esta dependência.

A decisão de passar a faturar em rublos permite à Rússia apoiar a sua moeda nacional, fortemente prejudicada pelas sanções ocidentais, mas irá privar o regime russo de uma fonte muito importante de divisas. Além disso, implica uma revisão dos contratos de fornecimento existentes, sustentam os países europeus.

A invasão russa da Ucrânia foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e a imposição à Rússia de sanções que atingem praticamente todos os setores, da banca ao desporto.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas