Escolha as suas informações

Ministro das Finanças diz que “os portugueses são pessoas que se integraram magnificamente bem” no país
Economia 10.07.2019

Ministro das Finanças diz que “os portugueses são pessoas que se integraram magnificamente bem” no país

Ministro das Finanças diz que “os portugueses são pessoas que se integraram magnificamente bem” no país

Foto: Chis Karaba
Economia 10.07.2019

Ministro das Finanças diz que “os portugueses são pessoas que se integraram magnificamente bem” no país

Paula CRAVINA DE SOUSA
Paula CRAVINA DE SOUSA
O governante falava na conferência onde a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) apresentou o relatório dedicado ao Grão-Ducado.

O ministro das Finanças, Pierre Gramegna recorreu à imigração portuguesa para exemplificar a integração e a quantidade de estrangeiros no país. “Hoje, os portugueses são pessoas que se integraram magnificamente bem no nosso país”, disse.

O governante falava na conferência onde a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) apresentou o relatório dedicado ao Grão-Ducado. Questionado sobre o impacto dos estrangeiros no país, Gramegna começou por caracterizar a presença de estrangeiros residentes e também de transfronteiriços no país.

“Temos 47 a 48% de estrangeiros residentes no Luxemburgo, quase metade... nenhum país tem isto”, afirmou. “A internacionalização do nosso país ultrapassa tudo o que conhecemos. Somos um verdadeiro laboratório da Europa, porque vivemos a integração europeia. Claro que há dificuldades, mas é preciso assumir uma coisa e a outra”, disse. Gramegna referiu-se depois aos transfronteiriços: há cerca de 200 mil, “o que corresponde a cerca de um quarto de todos os transfronteiriços da Europa. Isso indica que, à parte do Luxemburgo e da Suíça, há poucos transfronteiriços em toda a União Europeia (UE). O último número que vi é que havia 700 mil tranfronteiriços em toda a UE e um pouco mais de um quarto estão no Luxemburgo”.

O governante referiu depois o exemplo concreto dos portugueses. “Continuamos a ter, hoje em dia, imigração portuguesa, ela não acabou”. “Hoje em dia, há cerca de 100 mil portugueses no Luxemburgo numa população total de 600 mil, o que equivale a uma pessoa em cada seis”. “E na cidade onde vivo, Esch-sur-Alzette, são um em cada três são portugueses”, concretizou. “Não conheço nenhum país – e já visitei muitos – onde a integração se faz, de tal forma que não há grandes dificuldades”, disse ainda. “Não digo que não haja dificuldades, mas imaginem cada um de vós, no estrangeiro, a viver numa cidade, onde uma pessoa em cada três é de outro país. Hoje, os portugueses são pessoas que se integraram magnificamente bem no nosso país”.


Notícias relacionadas

Maioria de portugueses no Grão-Ducado nasceram em Portugal
Publicados no âmbito do 10 de junho, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, os dados do gabinete luxemburguês de estatísticas (Statec) revelam que sete em cada 10 portugueses residentes no Grão-Ducado nasceram em Portugal (69,4%).
A menina luxemburguesa que pediu para aprender português
Chama-se Maria e fala português desde menina, mas é luxemburguesa dos quatro costados. Maria Hoffmann aprendeu português em criança, em Larochette, nos anos 1970. A menina luxemburguesa pediu para frequentar um dos primeiros cursos de língua portuguesa organizados para imigrantes.
ITW Maria Hoffmann - Photo : Pierre Matgé
Editorial: Que idade tem a comunidade portuguesa?
O CONTACTO festeja este ano o seu 45° aniversário. O jornal foi fundado em Janeiro de 1970, para informar a comunidade portuguesa no Luxemburgo. Ao comemorarmos esta data, surgiu-nos uma questão natural. Em que ano exacto situar o início da emigração portuguesa para o Luxemburgo?
Em Junho de 1965 uma missa na catedral do Luxemburgo juntou meio milhar de portugueses para celebrar pela primeira vez o Dia de Portugal no Grão-Ducado.
Depois disso houve um almoço eu ma festa. Foi o primeiro evento organizado pela comunidade portuguesa no Grão-Ducado de que há registo