Escolha as suas informações

Mais de 40% das empresas espera aumentar atividade nos próximos meses
Economia 02.11.2021 Do nosso arquivo online
Câmara do Comércio

Mais de 40% das empresas espera aumentar atividade nos próximos meses

Câmara do Comércio

Mais de 40% das empresas espera aumentar atividade nos próximos meses

Foto: Shutterstock
Economia 02.11.2021 Do nosso arquivo online
Câmara do Comércio

Mais de 40% das empresas espera aumentar atividade nos próximos meses

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
O setor da Horeca continua a ser, no entanto, aquele que mais perde com a crise, com uma quebra de 11%.

Os indicadores económicos do Luxemburgo dão sinais de uma recuperação em termos de atividade, emprego, rentabilidade, investimento, confiança e exportações. Esta é uma das principais conclusões de uma sondagem levada a cabo pela Câmara do Comércio, entre 14 de setembro e 4 de outubro. Durante este período um terço das empresas aumentou as suas atividades, metade o negócio estável e uma em cada cinco diminuiu a atividade. 

E para os próximos seis meses, 42% dos 677 empregadores entrevistados conta com um aumento de atividade. Os setores com maior aumento de atividade são os serviços financeiros (+40%), energia e ambiente (+34%), comércio (+18%), serviços não financeiros (+12%) e construção (+10%). Já o setor da Horeca continua a ser aquele que mais perde com a crise, com uma quebra de 11%.

O inquérito revela ainda que os patrões estão a ganhar mais confiança para fazer negócios, apesar da pandemia. Ainda segundo os números da Câmara do Comércio, cerca de 30% dos empregadores esperam recrutar mais trabalhadores nos próximos meses, enquanto 8% esperam reduzir os efetivos. 

Ainda quanto à transição do Luxemburgo para um modelo económico circular mais sustentável, o estudo revela que é uma transição ainda "tímida".  

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Reforçar a competitividade da economia, apostar no investimento público, apoiar o emprego, promover a inovação e desenvolver um sistema fiscal atrativo são algumas das ideias para assegurar uma recuperação sustentável favorável das empresas.
Para a Câmara do Comércio, o Estado deve manter os investimentos públicos