Escolha as suas informações

Mais de 17% do emprego no Luxemburgo é em part-time
Economia 18.09.2019 Do nosso arquivo online

Mais de 17% do emprego no Luxemburgo é em part-time

Mais de 17% do emprego no Luxemburgo é em part-time

Foto: Getty Images
Economia 18.09.2019 Do nosso arquivo online

Mais de 17% do emprego no Luxemburgo é em part-time

Tomar conta dos filhos é o principal motivo apresentado para não ter um emprego a tempo inteiro.

Há 48 mil pessoas a trabalhar em part-time no Luxemburgo. O valor representa 17,5% do total do emprego. A maioria – 40 mil – das pessoas que está nesta situação é do sexo feminino.

O Eurostat publicou hoje dados comparativos sobre o trabalho em part-time na União Europeia (UE). A percentagem do Luxemburgo fica ligeiramente abaixo da média europeia, que é de 19% do emprego total, o que equivale a cerca de 40,6 milhões de pessoas. A Holanda é o país, com a maior percentagem: de 46,8%.

A percentagem de trabalhadores a meio tempo no Luxemburgo tem-se mantido constante ao longo dos anos, mas atingiu um pico em 2017, quando chegou quase aos 20% do total de emprego (19,4%).

O gabinete de estatísticas da UE quis perceber o motivo pelo qual os trabalhadores laboravam a meio tempo e não a tempo inteiro. Não conseguir um emprego a full-time e ter de tomar conta dos filhos foram os motivos mais preponderantes. No Luxemburgo, tomar conta dos filhos é mesmo a principal razão: com 29,4%, seguindo-se outras responsabilidades familiares, com 24,2%. Não encontrar emprego a tempo inteiro é avançado por 12,8% dos empregados com trabalho em part-time.

Na União Europeia, o principal motivo é o facto de não encontrarem um trabalho a tempo inteiro, logo seguido pelas obrigações familiares com os filhos.


Notícias relacionadas