Escolha as suas informações

Luxemburgo. Ofertas de emprego atingem recorde e desemprego está em baixa
Economia 20.01.2022 Do nosso arquivo online
Mercado de Trabalho

Luxemburgo. Ofertas de emprego atingem recorde e desemprego está em baixa

ADEM - Foto: Pierre Matgé/Luxemburger Wort
Mercado de Trabalho

Luxemburgo. Ofertas de emprego atingem recorde e desemprego está em baixa

ADEM - Foto: Pierre Matgé/Luxemburger Wort
Pierre Matgé
Economia 20.01.2022 Do nosso arquivo online
Mercado de Trabalho

Luxemburgo. Ofertas de emprego atingem recorde e desemprego está em baixa

Redação
Redação
As vagas de emprego aumentaram 62,9% em 2021 no país, onde a taxa de desemprego é baixa, situando-se nos 5,2%, idêntica ao início de 2019.

A crise pandémica está atenuada no mercado de trabalho no Luxemburgo, assim demonstra o relatório da ADEM divulgado esta quinta-feira. Há mais emprego e menos desempregados do que em 2020. Contudo, o desemprego de longa duração continua com valores elevados.

Nunca houve tanta oferta de emprego no Luxemburgo como em 2021, tratou-se mesmo de um “recorde” e o número de trabalhadores desempregados conseguiu baixar até aos níveis do início de 2019, ou seja, da pré-pandemia.

Emprego. 10 mil vagas

Primeiro, as ofertas de emprego. O retrato feito pela ADEM revela que a 31 de dezembro de 2021 existiam 10.221 ofertas de emprego disponíveis e, no total do ano passado, este valor chegou ao valor “recorde” de 42.745 vagas oferecidas pelas empresas do país. Em relação a 2020, houve um aumento de 62,9% de empregos disponíveis inscritos na Agência para o desenvolvimento do Emprego (ADEM).

De realçar que, só em dezembro de 2021, os empregadores do país inscreveram 3.258 novas vagas de emprego nesta agência.

Desemprego. 16 mil inscrições

Do outro lado, o do desemprego, 16.403 candidatos estavam inscritos a 31 de dezembro nesta entidade, “menos 3.515 pessoas do que em dezembro de 2020, o que representa uma baixa de 17,6%”, indica o relatório. No início de janeiro de 2022 a taxa de desemprego no país situava-se nos 5,2%, ou seja, “ao nível que se conheceu no início do ano de 2019”, refere o comunicado da ADEM.


Mais de 11 mil pessoas abrangidas pelo desemprego parcial em janeiro
A Comité de Conjuntura aprovou quase 700 pedidos de ajuda de empresas do Grão-Ducado. Ainda há empresas afetadas pelas intempéries de julho no país.

“Os números estão em baixa para todas as categorias de candidatos a emprego, incluindo aqueles que estão registados há mais de 12 meses”. O problema continua a ser o desemprego de longa duração, representando estes desempregados “metade dos candidatos a emprego” registados no país.  

No geral, e apesar de um ligeiro aumento em dezembro de 2021, as novas inscrições de desempregados “continuam a ser relativamente baixas”. No último mês do ano, “inscreveram 2.260 residentes candidatos a emprego, um decréscimo de 53 pessoas (-2,4%) em comparação com dezembro de 2020”.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

O desemprego continua a subir no Grão-Ducado. De acordo com os dados da Agência para o Desenvolvimento do Emprego (Adem), o número de residentes inscritos nos centros de emprego em fevereiro de 2020 era um total de 16.562. Um aumento de 1.144 pessoas num ano, o que significa uma subida de 7,4%.