Escolha as suas informações

Luxemburgo é um paraíso... fiscal, para Oxfam
Economia 08.03.2019

Luxemburgo é um paraíso... fiscal, para Oxfam

Luxemburgo é um paraíso... fiscal, para Oxfam

Foto: Guy Wolff
Economia 08.03.2019

Luxemburgo é um paraíso... fiscal, para Oxfam

A UE vai divulgar em breve a sua lista negra de paraísos fiscais. Para a Oxfam International, o Luxemburgo deveria lá estar. O volume do investimento directo estrangeiro no Grão-Ducado é oito mil vezes superior ao PIB do país.

Não é novidade, mas o Luxemburgo volta a aparecer em mais uma lista de paraísos fiscais. De acordo com o relatório da Oxfam, divulgado na quarta-feira e a uma semana da atualização da lista a negra dos paraísos fiscais da União Europeia, Luxemburgo, Irlanda, Holanda, Malta e Chipre seriam os países considerados paraísos fiscais se a UE aplicasse os critérios da sua lista negra aos Estados membros.

Entre os 28 países do bloco europeu analisados, a ONG Oxfam International conclui que estes cinco países estão em falta ao levarem a cabo práticas fiscais prejudiciais, como a facilitação da criação de estruturas opacas ou a captação de capitais que acabam por não refletir a atividade económica do país.

Um exemplo concreto apontado no estudo é a desproporção entre o nível de investimento direto estrangeiro no Luxemburgo e o produto interno bruto do país: o volume de investimento, este ano, foi oito mil vezes superior ao PIB luxemburguês, refere a Oxfam.

Os ministros das Finanças dos Estados membros da UE vão rever, no próximo dia 12 de março, as listas negra e cinzenta dos paraísos fiscais na reunião do Ecofin.


Notícias relacionadas

Panamá sai da lista negra de paraísos fiscais
A União Europeia (UE) retirou hoje o Panamá e Macau e outras seis jurisdições da ‘lista negra' de paraísos fiscais, mas mantêm-nas sob vigilância na zona cinzenta, onde consta, por exemplo Cabo Verde.