Escolha as suas informações

Luxemburgo e países vizinhos cobram impostos mais altos aos solteiros
Economia 27.05.2022
Relatório OCDE

Luxemburgo e países vizinhos cobram impostos mais altos aos solteiros

Relatório OCDE

Luxemburgo e países vizinhos cobram impostos mais altos aos solteiros

Foto: Markus Spiske / Pexels
Economia 27.05.2022
Relatório OCDE

Luxemburgo e países vizinhos cobram impostos mais altos aos solteiros

Redação
Redação
Em 2021, os rendimentos dos solteiros foram taxados em 40% no Luxemburgo, em comparação com os 34% das famílias onde ambos os parceiros trabalham e os 19,7% das famílias onde apenas um dos dois trabalha.

De acordo com o relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) publicado na terça-feira, o Grão-Ducado e os países vizinhos apresentam a carga fiscal mais elevada para os contribuintes solteiros.

Em 2021, mais de metade dos rendimentos (52,6%) dos solteiros belgas foi para o Estado, levando o país ao topo da tabela. Seguiu-se a Alemanha, onde a carga fiscal foi de 48,1%, e a França ficou em quarto lugar, com 47%. Estes valores estão bem acima da carga fiscal média dos países da OCDE, que se situa nos 34,6%.


Ser solteiro paga imposto no Grão-Ducado
A polémica não é de agora. As pessoas solteiras continuam descontentes com a diferença dos impostos em relação aos casados. A petição que foi a debate público em 2019 pouco veio alterar. O Ministério das Finanças admite que tinha planeado uma reforma fiscal, mas a pandemia alterou os planos. Uma nova petição pretende reacender a discussão e relançar o tema no espaço político.

O Luxemburgo ficou bem para lá dos primeiros dez lugares, em 13.º, com 40,2%, mas este não é um indicador positivo, uma vez que subiu duas posições em relação a 2021, devido ao aumento da carga fiscal em 0,7%, impulsionada pela crise sanitária.

Famílias têm vantagens fiscais no Luxemburgo

A OCDE observa, aliás, que este não foi um fenómeno único, já que os impostos sobre o trabalho voltaram a aumentar em 2021 em dois terços dos países que integram a organização, depois de terem caído em 2020.

No caso das famílias, o Luxemburgo está mais perto da média. No caso dos agregados com dois filhos em que os dois membros do casal trabalham, os seus rendimentos são tributados em 34% face aos 31,2% da média da OCDE. Já as famílias com dois filhos, em que apenas um dos dois trabalha, estão sujeitas a uma carga fiscal de 19,7% face aos 24,6% da média dos 38 países.


Impostos dos solteiros. Fiscalista ajuda a fazer as contas
O Contacto convidou uma fiscalista a pegar na calculadora e fazer um exercício de matemática. Quanto é que paga de impostos um solteiro, afinal? E qual a diferença para uma pessoa casada?

A tributação das famílias tem mais benefícios no Luxemburgo do que nos países vizinhos. No caso de famílias com dois filhos em que os dois parceiros trabalham, por exemplo, a Bélgica, França e Alemanha, aplicam uma carga fiscal superior à média da OCDE, fixada nos 48,4%, 44,1% e 43,5%, respetivamente.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

A carga fiscal baixou no ano passado no Luxemburgo. De acordo com o Eurostat, a receita com impostos e contribuições para a Segurança Social representava 39,1% do Produto Interno Bruto, uma queda face aos 39,4% registados em 2014.
A carga fiscal caiu para 39,1%.