Escolha as suas informações

Luxemburgo é o segundo país que menos arrecada em impostos com o gasóleo

Luxemburgo é o segundo país que menos arrecada em impostos com o gasóleo

Foto: Pierre Matge
Economia 05.06.2019

Luxemburgo é o segundo país que menos arrecada em impostos com o gasóleo

Henrique DE BURGO
Henrique DE BURGO
Portugal arrecada mais impostos do que o Luxemburgo com o gasóleo, com uma média de 486 euros por mil litros.

O Luxemburgo é o segundo país que menos cobra impostos a partir do consumo diesel, com 338 euros por 1.000 litros de combustível, ou seja, apenas oito euros acima da taxa mínima (330 euros) da União Europeia (UE), que se regista na Bulgária.

Segundo dados da Comissão Europeia, compilados pela Associação dos Construtores Europeus de Automóveis (ACEA), o Reino Unido é o país que mais arrecada nos impostos, com 651 euros por 1.000 litros de diesel, seguido da Itália (617 euros), Bélgica (600 euros) e França (594 euros).

Portugal aparece a meio da tabela com uma média de 486 euros por mil litros de gasóleo.

No extremo oposto estão a Bulgária (330 euros), o Luxemburgo (338 euros) e a Lituânia (347 euros).


Diesel profissional será mais caro no Luxemburgo do que na Bélgica
O alerta foi dado hoje pelo Agrupamento Petrolífero Luxemburguês.

Quanto ao imposto arrecadado no caso da gasolina, o Luxemburgo é o sétimo Estado-membro a ganhar menos impostos com este tipo de combustível: 465 euros por cada mil litros de gasolina.

No total, os impostos relacionados aos automóveis atingem um valor anual de 428 mil milhões de euros em 15 países da União Europeia (UE), praticamente o dobro do orçamento da UE, de acordo com o Guia Fiscal da ACEA 2019.

Estes dados, 3,5% superiores ao ano anterior, incluem a cobrança do IVA, os impostos sobre as vendas, as taxas de circulação automóvel ou ainda as portagens.

O Luxemburgo aumentou o imposto sobre o combustível. Desde o início do mês de maio o imposto sobre a gasolina está um cêntimo mais caro. No caso do gasóleo a subida foi de dois cêntimos. Verbas suplementares que vão diretamente para os cofres do Estado que o Governo diz que vão ser, em parte, canalizadas para o fundo do Clima e Energia.


Notícias relacionadas

Eurostat: Carga fiscal baixou no Luxemburgo em 2015
A carga fiscal baixou no ano passado no Luxemburgo. De acordo com o Eurostat, a receita com impostos e contribuições para a Segurança Social representava 39,1% do Produto Interno Bruto, uma queda face aos 39,4% registados em 2014.
A carga fiscal caiu para 39,1%.