Escolha as suas informações

Breves Economia 04.07.2019

Luxemburgo é o quarto país com a taxa de emprego de jovens licenciados mais elevada

O Luxemburgo é o quarto país da União Europeia, onde a taxa de emprego de jovens licenciados é mais alta.

De acordo com dados do Eurostat publicados esta quinta-feira, a taxa de emprego de licenciados entre os 20 e os 34 anos é de 94%. Melhor do que o Grão-Ducado só Malta (96,7%), Holanda (94,8%) e Alemanha (94,3%).

Pelo contrário, os países onde o emprego dos jovens que frequentaram o ensino superior é mais baixo são a Grécia, em que pouco mais de metade trabalha (59%), Itália (62,8%) e a Croácia (75,2%). Em Portugal, a taxa de emprego é de 85,9%.

A média da União Europeia é de 85,5%.

Breves Luxemburgo 06.12.2019

Luxemburgo no ‘top 10’ dos países onde melhor se fala inglês

(HB) - Os residentes do Grão-Ducado estão entre os que melhor dominam a língua inglesa, enquanto língua não materna.

De acordo com um novo estudo da empresa internacional Education First, especializada em viagens educacionais e cursos de língua, os luxemburgueses ocupam o nono lugar da lista, com uma pontuação de 64 em 100.

Os falantes não nativos mais fluentes em inglês são os holandeses, com 70 pontos.

O pódio é completado por suecos e noruegueses, enquanto Portugal aparece em 12°, três lugares abaixo do Luxemburgo, com 63 pontos.

Os resultados deste ‘ranking’ de proficiência em inglês foram obtidos com base em testes ‘online’ gratuitos, feitos a 2,3 milhões de pessoas de 100 países.

Breves Luxemburgo 06.12.2019

Mobilidade. Governo prolonga passes grátis para beneficiários do REVIS

(HB) - A validade dos passes de livre circulação para os transportes públicos, destinados aos beneficiários do rendimento de inclusão social (REVIS), vai ser prolongada.

A decisão do Ministério da Mobilidade vai permitir que estes passes, com validade até final do ano, sejam utilizados até 29 de fevereiro de 2020. Depois dessa data os transportes públicos passam a ser gratuitos no Luxemburgo.

Com esta medida, as autoridades evitam gastos com a emissão de novos passes.