Escolha as suas informações

Luxemburgo é o país da UE onde os mais velhos menos trabalham
Economia 11.11.2019

Luxemburgo é o país da UE onde os mais velhos menos trabalham

Luxemburgo é o país da UE onde os mais velhos menos trabalham

Foto: Pierre Matgé
Economia 11.11.2019

Luxemburgo é o país da UE onde os mais velhos menos trabalham

A baixa taxa de emprego entre os mais velhos no Grão-Ducado é dos alertas mais frequentemente feitos pela Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional ou Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico.

O Luxemburgo é o país da União Europeia (UE) em que os mais velhos menos trabalham. O Eurostat publicou esta segunda-feira dados por país sobre a taxa de emprego na faixa etária entre os 55 e os 64 anos. Ora, no Luxemburgo, a taxa de emprego destes trabalhadores era de 40% em 2018, o valor mais baixo para o conjunto dos 28.

Pelo contrário, a taxa de emprego daquela faixa etária atingia quase os 80% na Suécia, com os trabalhadores a estarem ativos durante mais anos. A média da UE é de 59%.

A baixa taxa de emprego entre os mais velhos no Grão-Ducado é dos alertas mais frequentemente feitos pela Comissão Europeia, Fundo Monetário Internacional ou Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). Estes organismos internacionais apontam para a fraca participação dos mais velhos no mercado laboral e para o elevado recurso a esquemas de reforma antecipada, o que pode colocar problemas de sustentabilidade do sistema de pensões.

O Eurostat afirma ainda que há uma percentagem cada vez maior de trabalhadores ainda mais velhos – entre os 65 e os 74 anos – que continuam no mercado laboral. Em 2018, 26% da população com aquela idade na Estónia estava empregada. Portugal apresenta também uma taxa de emprego elevada nesta faixa de idade, ultrapassando os 15%.

P.C.S. e S.M.


Notícias relacionadas

9% dos trabalhadores têm contrato a termo no Luxemburgo
No Luxemburgo, 9% dos trabalhadores entre os 15 e os 64 anos tinham um contrato a termo certo no ano passado. Esta é a décima taxa mais baixa entre os países da União Europeia (UE) e fica muito abaixo da média, que é de 14,3%.