Escolha as suas informações

Luxemburgo atrai cada vez mais trabalhadores transfronteiriços e de fora da UE
Economia 17.04.2022
Trabalho

Luxemburgo atrai cada vez mais trabalhadores transfronteiriços e de fora da UE

Trabalho

Luxemburgo atrai cada vez mais trabalhadores transfronteiriços e de fora da UE

Foto: Guy Jallay
Economia 17.04.2022
Trabalho

Luxemburgo atrai cada vez mais trabalhadores transfronteiriços e de fora da UE

Redação
Redação
O número de trabalhadores continua a crescer no país registando um aumento anual de 3,6%, devido principalmente aos transfronteiriços e de países fora da UE. Do total de 458 210 trabalhadores, 46% são transfronteiriços, indica o Statec.

O Grão-Ducado continua a ser um país apetecível para trabalhar. O número de trabalhadores em território nacional continua a crescer, revela o mais recente relatório do Statec. 

No último trimestre de 2021, exerciam a sua profissão no Luxemburgo 458 210 trabalhadores, mais 1,0% do que no trimestre anterior e mais 3,6% em relação a igual período de 2020.

Os trabalhadores transfronteiriços foram quem registou um maior aumento, de 1,3 % em comparação com o terceiro trimestre de 2021, em comparação com o crescimento dos assalariados residentes no Luxemburgo (0,6%).

Contudo, e no geral, o maior aumento anual revelou-se entre os trabalhadores  residentes de países não comunitários, onde o salto foi de 10,8% em relação a 2020, contra 2,7% dos residentes de nacionalidade luxemburguesa. 


Maioria dos pais escolhe licença parental de seis meses
Desde a reforma da licença parental em 2016, os pais podem escolher entre três fórmulas de licença.

Mais transfronteiriços

Do total de 458 210 trabalhadores no país, 245 867 residem no território nacional, enquanto 212 343 são transfronteiriços. Ou seja, 46% dos trabalhadores vivem nos países vizinhos da Alemanha, França e Bélgica deslocando-se diariamente para os seus trabalhos no Luxemburgo.

Os transfronteiriços franceses continuam a ser os mais representados, 112 459, seguindo-se os da Alemanha (50 386) e os da Bélgica (49 499).

É na administração e outros serviços públicos onde o aumento de assalariados foi maior, mais 5,4% do que no ano anterior. Contudo, na comparação com o trimestre anterior este crescimento foi de 1,3%, o mesmo dos setores do comércio, transportes, alojamento e restauração. Todos eles representam os setores com maior dinâmica de crescimento.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas

Sem surpresas, a pandemia da covid-19 está a afetar a evolução do emprego no Luxemburgo. No primeiro trimestre deste ano, o aumento do número de trabalhadores no país ficou-se pelos 0,3% face a igual período de 2019. No trimestre anterior, a subida tinha sido de 0,8%, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (STATEC).