Escolha as suas informações

Luxemburgo. Aquecimento dos edifícios públicos só até 20 graus este inverno
Economia 2 min. 26.08.2022
Energia

Luxemburgo. Aquecimento dos edifícios públicos só até 20 graus este inverno

Energia

Luxemburgo. Aquecimento dos edifícios públicos só até 20 graus este inverno

Foto: Gerry Huberty
Economia 2 min. 26.08.2022
Energia

Luxemburgo. Aquecimento dos edifícios públicos só até 20 graus este inverno

Redação
Redação
O ministro da Energia anunciou esta quinta-feira uma primeira medida, dirigida às comunas, para poupar no consumo de gás, face à crise energética que se avizinha para os próximos meses

O aquecimento dos edifícios públicos luxemburgueses não vai poder ultrapassar os 20ºC este inverno. A decisão do governo foi avançada pelo ministro da Energia, Claude Turmes, em entrevista à 100.7, esta quinta-feira, e faz parte das medidas de poupança energética, como consequência da guerra da Ucrânia e das sanções à Rússia.

A maior parte da Europa prepara-se para enfrentar o inverno sem o gás russo e cada Estado-membro da União Europeia foi exortado a contribuir com uma poupança de 15% no seu consumo. Um acordo com o qual o governo luxemburguês assumiu compromisso imediato.


O plano do Luxemburgo para reduzir consumo de gás natural em 15%
A data limite para esta redução se tornar uma realidade é 31 de março de 2023, tal como nos outros Estados-membros da UE.

A medida anunciada por Claude Turmes, de que os municípios já tomaram conhecimento através de uma circular do executivo, é a primeira de um pacote que deverá ser conhecido em detalhe em setembro.

Apesar de estarem contempladas algumas exceções, como os lares de idosos, a poupança nos estabelecimentos públicos também será feita na eletricidade, através da contenção na iluminação, tanto dentro como fora dos edifícios públicos, acrescentou o ministro. 

"Indiretamente, estamos a poupar gás, porque as centrais elétricas que trabalham para produzir eletricidade são alimentadas a gás", afirmou.

Esch-sur-Alzette já começou a poupar

O município de Esch-sur-Alzette, por exemplo, divulgou esta quinta-feira as primeiras medidas tomadas para poupar energia. Num memorando enviado a todos os funcionários, a autarquia deixou uma série de recomendações, como favorecer a luz natural nos escritórios e salas de reuniões, desligar as luzes quando os gabinetes estão desocupados, assim como os dispositivos eletrónicos, evitando o modo stand by, e evitar ligar os aparelhos de ventilação, optando pela ventilação natural. 


Inflation across the eurozone hit a new high of 8.9% in the year to July, up from 8.6% in June
Luxemburgo. Preço do gás pode disparar 80% no outono
São as previsões dos principais fornecedores luxemburgueses.

"Desde o início de agosto de 2022, vários sistemas de produção de calor foram também fechados em alguns edifícios municipais. Os circuitos de aquecimento, sistemas de ventilação, caldeiras e bombas de carga para sistemas de aquecimento urbano" e distrital foram afetados, refere a câmara de Esch.

No mesmo comunicado a autarquia salienta que continua à espera de mais detalhes e decisões a nível nacional "para implementar medidas adicionais" e acrescenta que está marcada "uma nova reunião da unidade de crise 'energia' para setembro, "no início do ano letivo".

Nesse mês, o governo deverá lançar também uma extensa campanha de sensibilização dirigida à generalidade da população, com recomendações que poderão ir variando "de acordo com a evolução da crise" energética, durante o inverno, segundo disse Claude Turmes na entrevista à 100.7


O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas