Escolha as suas informações

Lufthansa com prejuízo recorde de 6,7 mil milhões de euros em 2020
Economia 2 min. 04.03.2021

Lufthansa com prejuízo recorde de 6,7 mil milhões de euros em 2020

Lufthansa com prejuízo recorde de 6,7 mil milhões de euros em 2020

Foto: Silas Stein/dpa
Economia 2 min. 04.03.2021

Lufthansa com prejuízo recorde de 6,7 mil milhões de euros em 2020

Lusa
Lusa
A empresa prevê um ano de 2021 no 'vermelho', também devido à pandemia da covid-19 que mergulhou o setor da aviação numa crise sem precedentes.

A Lufthansa, o maior grupo europeu de transportes aéreos, resgatado da falência pelo Estado alemão, sofreu um prejuízo recorde de 6,7 mil milhões de euros em 2020, devido ao impacto da pandemia. E o ano de 2021 não será muito diferente do que passou. O grupo espera manter-se no 'vermelho', também devido à pandemia da covid-19, que atirou o setor da aviação para uma crise sem precedentes.

A Lufthansa, que operava com apenas 31% da sua capacidade no ano passado, reviu em baixa a sua previsão de procura para 2021, por causa de uma recuperação mais lenta nas viagens. A companhia aérea alemã só espera um regresso a 90% da oferta, em relação aos níveis de 2019, em "meados da década".

Para a Lufthansa, tal como para o resto do setor, a perspetiva de retoma progressiva nas férias de verão de 2020, numa altura de abrandamento da pandemia na Europa, desvaneceu-se perante o recrudescimento da doença e novas restrições às viagens a partir do outono.

A Lufthansa espera este ano atingir entre 40% a 50% da oferta, revendo em baixa a previsão anterior, de até 60%. O grupo disse ainda assim estar preparado para picos de até 70% no próximo verão, "quando as restrições às viagens forem reduzidas, com a difusão de testes e vacinas", disse o presidente executivo (Chief Executive Officer) do Grupo Lufthansa, Carsten Spohr. De acordo com a agência de notícias France-Presse (AFP), a Lufthansa tem de atingir 50% do nível pré-crise para regressar a um fluxo de tesouraria positivo. 


Vai viajar para o Luxemburgo? Resultados negativos em português passam a ser aceites
Apresentação de teste negativo da covid-19 a quem viaja de avião para o Grão-Ducado vai continuar em vigor pelo menos até ao fim de março.

30.000 postos de trabalho em risco

Cerca de 30.000 postos de trabalho estão em risco na empresa, que, no entanto, chegou a acordos com os sindicatos para evitar despedimentos até março de 2022. O grupo deverá também dispensar cerca de 150 aviões da frota, numa altura em que 500 das 800 aeronaves se encontram imobilizadas.

Em junho de 2020, a Lufthansa beneficiou de um vasto pacote de resgate de nove mil milhões de euros pelo Governo alemão, que assumiu uma participação de 25% no capital da empresa, tendo utilizado até agora 3,3 mil milhões de euros.

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) advertiu na semana passada que o tráfego global deverá ficar-se este ano por 33% a 38% do registado em 2019, uma recuperação mais lenta do que o esperado.

Segundo o balanço mais recente da AFP, a crise sanitária da covid-19 provocou, pelo menos, 2.549.910 mortos no mundo, resultantes de mais de 114,7 milhões de casos de infeção.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas