Linha aérea

Grupo Luxair com perdas superiores a 5 milhões

Foto: Pierre Matgé

Os lucros do grupo Luxair desceram mais de cinco milhões em 2016, comparativamente com o ano de 2015.

O grupo que é controlado directa e indirectamente pelo estado, teve um lucro líquido de 4,4 milhões de euros, descendo dos 9,7 milhões de 2015, devido às perdas nas operações do seu operador turístico Luxair Tours, e Luxair Luxembourg Airlines.

A Luxair Airlines teve perdas de 8,8 milhões, no ano passado que se compara com uma perda de 3,6 milhões, relativamente a 2015.

A Luxair Tours teve um lucro de 2,2 milhões de euros, inferior aos 3,9 milhões obtidos em 2015.

Em conferência de imprensa, na sexta-feira, onde se apresentaram os resultados, a empresa admite que 2017 será "outro ano difícil."

"A Luxair Tours vais redefinir o seu posicionamento e vai lançar novos produtos para alcançar novos clientes e garantir o crescimento futuro", adiantaram.

O grupo admite que as perdas poderão estar associadas ao impacto do Brexit, uma evolução incerta do mercado e aumento da concorrência, especialmente das companhias low cost.

"Temos avistado o perigo das companhias low cost há muitos anos, não somos ingénuos", adiantou o presidente do Grupo Luxair, Adrien Ney. "Nunca seremos uma companhia low cost. Temos outra qualidade de serviços. É importante oferecermos um serviço de qualidade a um preço que o consumidor aceite."

No total, 70 voos de baixo custo voam do Findel a cada semana. A primeira companhia deste tipo a operar no Luxemburgo foi a Easyjet, em 2012, que tem, actualmente 19 voos por semana no Grão-Ducado.

Um ano mais tarde, a Vueling começou também a operar no país e, no ano passado, três novas companhias low cost chegaram: a Hop!, Flybe e a Ryanair, acrescentando-se a Volotea, este ano.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba a nossa newsletter das 17h30.