Escolha as suas informações

Lavagem de dinheiro. Mais de 200 detidos pela Europol
Economia 04.12.2019

Lavagem de dinheiro. Mais de 200 detidos pela Europol

Lavagem de dinheiro. Mais de 200 detidos pela Europol

Economia 04.12.2019

Lavagem de dinheiro. Mais de 200 detidos pela Europol

Mais de 2oo pessoas foram detidas e mais de três mil identificadas na mega operação contra o branqueamento de capitais. Há mulas de dinheiro recrutadas através de sites de encontros.

O esquema de lavagem de dinheiro que esteve na mira da Europol entre setembro e novembro deste ano também passou pelo Luxemburgo. O Grão-ducado é um dos 31 países que participou na mega-operação internacional contra o branqueamento de capitais e os chamados correios ou mulas de dinheiro. 

Os resultados da investigação criminal foram divulgados pela agência da polícia europeia. Há 386 recrutadores identificados, destes 228 estão atrás das grades. Mais de 3800 pessoas foram usadas como mulas de dinheiro. As autoridades abriram 1025 inquéritos. Portugal também está na lista. 

Centenas de pessoas caíram na armadilha. Cúmplices por engano, cederam as contas bancárias para receber e transferir dinheiro sujo que resultou da prática de crimes. A Europol garante que uma das formas mais comuns de atrair as vítimas é através das redes sociais e dos sites de encontros. 

Depois de conhecerem as chamadas mulas de dinheiro, os cérebros do esquema de lavagem de dinheiro convencem-nas a abrir contas bancárias para receber e enviar fundos, ganhando dinheiro com isso. 

"A técnica é particularmente popular entre estudantes e jovens adultos", alerta no comunicado publicado na página oficial. 

O orgão que reúne elementos policiais de vários países europeus não agiu sozinho. Além do Eurojust e da Federação Europeia de Bancos também colaboraram outras 650 instituições bancárias e 17 financeiras. 

O trabalho conjunto detetou 7.520 transações fraudulentas que correspondem a uma perda de 12,9 milhões de euros. 

Entretanto há uma campanha a decorrer na Europa para alertar os mais desatentos sobre esta fraude. Vários bancos também aderiram à #dontbeamule. É que, segundo as autoridades, mesmo sem intenção ou conhecimento de que estão a cometer um crime, os correios de dinheiro também podem ser penalizados.