Escolha as suas informações

Isabel dos Santos já não participa na reunião de Davos
Economia 3 min. 20.01.2020

Isabel dos Santos já não participa na reunião de Davos

Isabel dos Santos já não participa na reunião de Davos

Foto: AFP
Economia 3 min. 20.01.2020

Isabel dos Santos já não participa na reunião de Davos

Nome da empresária angolana saiu da lista de participantes do encontro do Fórum Económico e Mundial, depois de investigação jornalística ter revelado milhares de ficheiros que mostram os esquemas financeiros que terá usado para enriquecer.

O nome de Isabel dos Santos já não aparece na lista de participantes da cimeira de Davos, que decorre a partir de amanhã, terça-feira, naquela região Suíça.

Segundo avança o 'The Guardian', a empresária, filha do ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos, terá sido retirada da lista depois de o consórcio internacional de jornalistas ICIJ ter revelado, este domingo, 19 de janeiro, milhares de ficheiros, num dossier designado de 'Luanda Leaks, que expõe os esquemas que terá usado para aumentar o seu património e se tornar na mulher mais rica de África.

Entre esses esquemas é apontado o que envolve a petrolífera estatal de Angola, a Sonangol, e que terá permitido a Isabel dos Santos, que foi presidente da estrutura entre 2016 e 2017, desviar, pelo menos, 115 milhões de dólares da empresa para o Dubai.

Os documentos revelam ainda que, em menos de 24 horas, a conta da Sonangol no Eurobic Lisboa, banco de que a empresária é a principal acionista, foi esvaziada e ficou com saldo negativo no dia seguinte à demissão da empresária.  

“Num sinal de que a comunidade internacional está a começar a apertar o cerco contra Isabel dos Santos, o seu nome foi removido da lista de participantes que se vão reunir esta semana no Fórum Económico Mundial, o encontro anual de líderes políticos e de negócios”, escreve o 'The Guardian', citado pelo Expresso, jorna português que integra o consórcio de jornalistas.

Além do nome de Isabel dos Santos não se encontrar entre o grupo de políticos e empresários que se vai reunir em Davos, por arrasto, também a representação da sua empresa de telecomunicações Unitel, que terá pago para patrocinar o evento, estará a ser reequacionada, adianta a publicação britânica.

Consultora PwC cessa contratos 

Esta segunda-feira, a consultora PricewaterhouseCoopers (PwC), que trabalhou para empresas controladas por Isabel dos Santos, anunciou ter cessado os contratos de serviços.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a consultora disse “esforçar-se para manter os mais altos padrões profissionais na PwC e estabelecer expetativas de comportamento ético consistente por todas as empresas da PwC na nossa rede global”. 

"Em resposta às alegações muito sérias e preocupantes levantadas, iniciámos imediatamente uma investigação e estamos a trabalhar para avaliar minuciosamente os factos e concluir a nossa investigação", refere o comunicado enviado à agência Lusa.

A mesma nota acrescenta que a consultora tomou "medidas para encerrar qualquer trabalho em curso para entidades controladas por membros da família dos Santos".

Em Portugal, recorde-se, Isabel dos Santos detém capital em quatro grandes empresas: da Galp (de forma indereta), da Efacec, da NOS e do banco Eurobic.

  Siga-nos no FacebookTwitter e receba a nossa newsletter das 17h30.  


Notícias relacionadas

A queda da princesa de Angola
Numa semana, Isabel dos Santos, a mulher mais rica de África, passou de princesa a arguida, e a elite mundial dos negócios está a virar-lhe as costas. No meio do escândalo internacional há negócios feitos em Portugal que estão a ser vistos com outros olhos. A filha de Eduardo dos Santos diz-se vítima de perseguição política.
Isabel dos Santos diz que processo em Angola tem motivação política
Em comunicado divulgado, nesta noite de terça-feira, a empresária angolana afirma “que nunca foi notificada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ou citada pelo Tribunal Provincial de Luanda”, desconhecendo o teor da acusação e que “não teve oportunidade de apresentar defesa”.