Escolha as suas informações

Isabel dos Santos diz que investigação baseia-se em documentos falsos
Economia 2 min. 19.01.2020

Isabel dos Santos diz que investigação baseia-se em documentos falsos

Isabel dos Santos diz que investigação baseia-se em documentos falsos

Foto: AFP
Economia 2 min. 19.01.2020

Isabel dos Santos diz que investigação baseia-se em documentos falsos

A investigação do ICIJ analisou milhares de ficheiros relativos aos negócios de Isabel dos Santos, que ajudam a reconstruir o caminho que a levou a tornar-se a mulher mais rica de África. Empresária diz que informações são falsas e que fugas foram coordenadas com Governo angolano.

 A empresária angolana Isabel dos Santos, a principal visada nos esquemas financeiros revelados no “Luanda Leaks”, afirmou que a investigação é baseada em “documentos e informações falsas”, num "ataque político" coordenado com o Governo angolano.

“As notícias do ICIJ [Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação] baseiam-se em muitos documentos falsos e falsa informação, é um ataque político coordenado em coordenação com o ‘Governo Angolano’ (sic). 715 mil documentos lidos? Quem acredita nisso?”, reagiu a empresária, em inglês, através da sua conta do Twitter, acrescentando "#icij #mentiras".

A filha do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos ataca também os media portugueses SIC e o Expresso, que integram o consórcio de jornalistas que revelou hoje mais de 715 mil ficheiros que detalham esquemas financeiros de Isabel dos Santos e do marido, Sindika Dokolo.

Na conta do Twitter, onde escreveu 10 'tweets' na última hora, afirma que a sua “fortuna” nasceu com o seu “caráter, inteligência, educação, capacidade de trabalho e perseverança” e acusa a SIC e o Expresso de “racismo” e “preconceito”, “fazendo recordar a era das ‘colónias’ em que nenhum africano pode valer o mesmo que um ‘europeu’”.

"Os 'leaks' são autênticos? Quem sabe? Ninguém... estranho mesmo é ver a PGR [Procuradoria-Geral da República] de Angola a dar entrevistas à SIC-Expresso. Procurador Geral de Angola a dar entrevistas... a canais portugueses!", escreveu a empresária, numa dessas mensagens.


Investigação jornalística revela esquemas financeiros de Isabel dos Santos
Entre os esquemas expostos está o da petrolífera Sonangol, que terá permitido à filha do ex-presidente angolano desviar mais de 100 milhões de dólares para o Dubai. Investigação mostra também o envolvimento de vários portugueses.

Isabel dos Santos comentou ainda: "Consórcio ICIJ recebeu fuga de informação das 'autoridades angolanas'??!! Interessante ver o estado angolano a fazer 'leaks' [fugas] jornalistas e para a SIC-Expresso e depois vir dizer que isto não é um ataque político?".

Num outro 'tweet', escreve que “o povo de Portugal é amigo do povo de Angola e não podemos deixar que ‘alguns’ interesses isolados ‘agitem’ a amizade e respeito que conseguimos conquistar e construir juntos”.

O Consórcio Internacional de Jornalismo de Investigação (ICIJ), que integra vários órgãos de comunicação social, entre os quais o Expresso e a SIC, analisou, ao longo de vários meses, 356 gigabytes de dados relativos aos negócios de Isabel dos Santos entre 1980 e 2018, que ajudam a reconstruir o caminho que levou a filha do ex-Presidente angolano a tornar-se a mulher mais rica de África.


Notícias relacionadas

Isabel dos Santos já não participa na reunião de Davos
Nome da empresária angolana saiu da lista de participantes do encontro do Fórum Económico e Mundial, depois de investigação jornalística ter revelado milhares de ficheiros que mostram os esquemas financeiros que terá usado para enriquecer.
Isabel dos Santos diz que processo em Angola tem motivação política
Em comunicado divulgado, nesta noite de terça-feira, a empresária angolana afirma “que nunca foi notificada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ou citada pelo Tribunal Provincial de Luanda”, desconhecendo o teor da acusação e que “não teve oportunidade de apresentar defesa”.