Escolha as suas informações

Instituições bancárias portuguesas alvo de buscas
Economia 16.01.2020

Instituições bancárias portuguesas alvo de buscas

Instituições bancárias portuguesas alvo de buscas

Foto: Getty Images
Economia 16.01.2020

Instituições bancárias portuguesas alvo de buscas

Lusa
Lusa
Quinze instituições bancárias e sedes de empresas estão a ser investigadas por suspeitas de crimes de burla qualificada, branqueamento e fraude fiscal qualificada.

 A Polícia Judiciária e o Ministério Público iniciaram hoje 15 buscas em instituições bancárias e sedes de empresas por suspeitas de crimes de burla qualificada, branqueamento e fraude fiscal qualificada, indica uma nota da Procuradoria-Geral da República.

Segundo a nota, “estão a ser levadas a efeito várias diligências para cumprimento de 15 mandados de busca e apreensão, em instituições bancárias, na sede social de uma associação, em domicílios e em sedes de empresas”.

Em causa no inquérito-crime, dirigido pelo Departamento de Investigação e ação Penal (DIAP), estão suspeitas de burla qualificada, branqueamento e fraude fiscal qualificada.

Segundo a nota da PGR, “as diligências incidem sobre um conjunto de clientes de instituições financeiras e de entidades suas detentoras” com o objetivo de recolher prova relativamente a operações bancárias “realizadas por clientes entre 2011 e 2014, bem como documentação relacionada com estas operações”.

As diligências são dirigidas por quatro juízes do Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa e Amadora, acompanhadas por quatro procuradores, 90 elementos da PJ, quatro elementos da Autoridade Tributária e seis elementos do Banco de Portugal.

Segundo o Jornal Económico, a Associação Mutualista Montepio é uma das visadas, assim como o banco BNI Europa.