Escolha as suas informações

Inflação da zona euro sobe e fica nos 1,7% em abril
Economia 2 min. 03.05.2019

Inflação da zona euro sobe e fica nos 1,7% em abril

Inflação da zona euro sobe e fica nos 1,7% em abril

Foto: AFP
Economia 2 min. 03.05.2019

Inflação da zona euro sobe e fica nos 1,7% em abril

Estes resultados positivos devem tornar a necessidade de adoção de mais medidas de estímulo à economia por parte do BCE menos urgente do que era esperado até aqui.

A inflação da zona euro deverá situar-se nos 1,7% em abril, uma subida acentuada face aos 1,4% registados em março.

Segundo a estimativa rápida do Eurostat, o maior contributo vem do setor da energia, seguido pelos serviços e pela componente de comida, álcool e tabaco.

A inflação subjacente - que é menos volátil por excluir a energia e a alimentação – também teve um desempenho positivo ao subir 1,2%. Este é o melhor valor em seis meses.

Tanto a taxa de inflação como a inflação subjacente bateram as expetactivas dos analistas consultados pela agência Bloomberg. A recuperação da inflação – um dos indicadores-chave analisados pelo Banco Central Europeu (BCE) - surge dias depois de terem sido divulgados dados positivos sobre a zona euro. A economia da região da moeda única surpreendeu e cresceu o dobro no primeiro trimestre face aos últimos três meses de 2018. Os principais responsáveis foram Espanha, França e Itália.

Estes resultados positivos devem, por isso, tornar a necessidade de adoção de mais medidas de estímulo à economia por parte do BCE menos urgente do que era esperado até aqui. É que a zona euro tem sentido um abrandamento económico, devido à guerra comercial e à instabilidade política e económica em vários países. O processo do Brexit no Reino Unido, os problemas sociais em França que despoletaram as manifestações dos coletes amarelos e a incerteza política e orçamental em Itália têm feito com que os vários organismos internacionais e os próprios Estados-membros revejam em baixa as suas perspetivas de crescimento para os próximos anos.

Alguns decisores políticos olham com algum otimismo para os últimos dados do crescimento, perspetivando uma estabilização do crescimento económico. Quanto à inflação, o valor aproxima-se do objetivo definido pelo BCE, de ficar próximo mas abaixo dos 2%.

No entanto, de acordo com a Bloomberg, é preciso olhar para os dados da inflação agora divulgados com alguma cautela, uma vez que há fatores temporários, que podem ficar sem efeito em maio. No início da semana, por exemplo, a Alemanha apresentou dados que mostram uma aceleração da inflação à boleia da subida dos preços dos pacotes de férias, que aumentaram em abril por causa das férias da Páscoa.

Recorde-se que, a inflação anual é a variação do nível do preço entre o mês em análise e o mesmo mês do ano anterior.


Notícias relacionadas