Escolha as suas informações

Indexação. Governo e parceiros sociais podem reunir-se antes do previsto
Economia 26.07.2022
Tripartida

Indexação. Governo e parceiros sociais podem reunir-se antes do previsto

Tripartida

Indexação. Governo e parceiros sociais podem reunir-se antes do previsto

Foto: Getty Images
Economia 26.07.2022
Tripartida

Indexação. Governo e parceiros sociais podem reunir-se antes do previsto

Diana ALVES
Diana ALVES
O diretor do Statec, Serge Alegrezza, não excluiu a hipótese de haver uma nova indexação ainda este ano.

A próxima reunião tripartida, entre Governo, sindicatos e patronato, poderá acontecer antes do previsto. Em causa, a indexação salarial, de acordo com a RTL.

Tal como previsto no acordo tripartido de março, o ‘index’ de julho foi adiado para abril de 2023, sendo substituído pelo chamado crédito fiscal de energia (crédit d’impôt énergie (CIE, em francês). A medida causou polémica e não contou com o apoio do maior sindicato do país, a OGBL. 


Luxemburgo. Como é que os partidos querem mudar o sistema fiscal?
As opiniões dos partidos divergem, mas a necessidade de aliviar a carga fiscal reúne algum consenso.

No entanto, se o mecanismo de indexação foi acionado antes de abril do próximo ano, Executivo e parceiros sociais voltarão à tripartida para debater o assunto. E, de acordo com o Statec, isso poderá estar para breve.

Numa entrevista à RTL, o diretor do Instituto Nacional de Estatística (Statec), Serge Alegrezza, não excluiu a hipótese de haver uma nova indexação ainda este ano. Segundo o responsável, os próximos cálculos serão publicados já no próximo dia 3 de agosto.

As últimas previsões do gabinete de estatística apontavam para que a próxima parcela do ‘index’ fosse acionada no início de 2023. Mas, devido à evolução da inflação, isso poderá acontecer mais cedo. “Ao contrário das previsões feitas na primavera, é preciso agora partir do princípio que a inflação será bem mais elevada”, escreve a emissora luxemburguesa. 

O diretor do Statec estima que, se a guerra na Ucrânia continuar, a inflação poderá atingir os 3,4% no próximo ano.

Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas