Escolha as suas informações

Indexação faz subir salário mínimo para 2.141,99 euros
Economia 10.01.2020 Do nosso arquivo online

Indexação faz subir salário mínimo para 2.141,99 euros

Indexação faz subir salário mínimo para 2.141,99 euros

Foto: Getty Images
Economia 10.01.2020 Do nosso arquivo online

Indexação faz subir salário mínimo para 2.141,99 euros

Paula CRAVINA DE SOUSA
Paula CRAVINA DE SOUSA
Os aumentos de 2,5% nos salários e pensões também vão ter impacto no salário mínimo. A subida será superior a 52 euros por mês.

A partir de janeiro, quem ganha o salário mínimo (não qualificado) vai passar a receber 2.141,99 euros. Isto por causa do efeito da indexação, que tem efeitos práticos já a partir deste mês.

Se salários e pensões sobem, o mesmo acontece com o salário mínimo. Assim, o salário mínimo nacional no Luxemburgo não qualificado - o mais elevado da União Europeia - passa a ser de 2.141,99 euros. O valor representa um aumento bruto de 52,24 euros por mês. O qualificado também sobe: passa a ser de 2.570,39 euros.

Os salários dos mais jovens também são atualizados: aqueles que têm entre 15 a 17 anos passam a receber 1.606,5 euros e aqueles que têm entre 17 e 18 anos passam a ganhar 1.713,6 euros.

No ano passado, o salário mínimo também aumentou: o Governo aplicou um aumento de cem euros líquidos.


Indexação. Médicos e dentistas mais caros a partir de janeiro
A partir do próximo mês está previsto os salários subirem 2,5% mas também haverá aumentos de preços de bens e serviços, devido a ajustes automáticos.

No entanto, a indexação que agora entra em vigor faz com que alguns serviços fiquem mais caros, como o dos médicos e dentistas, por exemplo.

Além dos salários, há ainda outras prestações sociais que sobem. Uma delas são os abonos de família, que também aumentam 2,5%. A título de exemplo, a prestação a receber por filho e por mês será de 265 euros (com o novo sistema, após a reforma do abono que entrou em vigor em agosto de 2016).


Notícias relacionadas

Portugal: Salário mínimo português aumenta hoje para 505 euros
O aumento, que abrange cerca de meio milhão de trabalhadores, decorre de um acordo estabelecido entre o Governo, as confederações patronais e a UGT há uma semana e está definido em decreto lei-aprovado em Conselho de Ministros e publicado em Diário da República.
O salário mínimo em Portugal era até agora de 485 euros