Escolha as suas informações

Setor da Horeca sem funcionários. "Saíram do Luxemburgo"
Economia 13.07.2022 Do nosso arquivo online
Trabalho

Setor da Horeca sem funcionários. "Saíram do Luxemburgo"

Trabalho

Setor da Horeca sem funcionários. "Saíram do Luxemburgo"

Foto: Pierre Matgé/Arquivo
Economia 13.07.2022 Do nosso arquivo online
Trabalho

Setor da Horeca sem funcionários. "Saíram do Luxemburgo"

Ana Patrícia CARDOSO
Ana Patrícia CARDOSO
O país deixou de ser atrativo para os trabalhadores, sobretudo, devido ao aumento generalizado do custo de vida.

Apesar do setor da Horeca estar a recuperar dos efeitos da pandemia da covid-19, enfrenta atualmente um outro problema: a falta de pessoal. François Koepp, secretário-geral da Horesca, confirmou em entrevista à RTL que o setor perdeu quase dois mil funcionários desde a crise sanitária. 

Uma dos motivos prende-se pela forma como o Luxemburgo se tornou menos atrativopara os trabalhadores. "A vida tornou-se demasiado cara", garante Koepp, citando o aumento do preço das rendas, dos combustíveis e da alimentação. Somando o aumento dos salários nos países vizinhos e o fator 'engarrafamentos' nas estradas, muitos trabalhadores transfronteiriços colocaram em causa a pertinência de viver no país. "Alguns mudaram de profissão", enquanto outros simplesmente "deixaram o Luxemburgo", afirmou.

Apesar de considerar que o setor "não está em perigo", segundo François Koepp é preciso resolver alguns problemas, soluções que passariam por uma maior flexibilização do horário de trabalho. 


Luxemburgo. Mesmo salário, mas menos horas de trabalho
Várias organizações patronais já se mostraram contra a medida, defendendo, antes, uma flexibilização do horário laboral.

"Devemos flexibilizar a forma de trabalhar, permitindo que as empresas façam acordos com os seus funcionários". Koepp defende, por exemplo, a semana de quatro dias úteis em vez de cinco, o que permitiria aos trabalhadores "passar mais tempo com a família e menos tempo na estrada".

Para isso, "seria necessário repensar grande parte da regulamentação" em vigor, segundo Koepp, insistindo que as decisões relativas à restauração e hotelaria devem ser tomadas em concertação com os profissionais do setor.

A 31 de maio, a ADEM  tinha 950 vagas de trabalho para restauração e hotelaria, o que representa um aumento de 101,1%, em relação ao mesmo período do ano passado. 


Estas são as empresas que empregam mais pessoas no Luxemburgo
São os resultados do inquérito anual do Instituto Nacional de Estatística (Statec). Os quatro maiores empregadores do país têm mais de quatro mil trabalhadores e são de áreas distintas.

Setor no bom caminho 

Na entrevista à RTL, François Koepp falou ainda das perspetivas atuais para o setor. "Recuperámos bem desde o início da pandemia e a temporada de verão será boa", disse. Segundo os dados mais recentes, as receitas aproximam-se das de 2019, ano em que "tinham sido excecionais".

O secretário-geral reconhece, por fim, que os auxílios estatais têm desempenhado um papel importante nesta recuperação. 

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.


Notícias relacionadas