Escolha as suas informações

"Habemus" convenção coletiva. Cactus chega a acordo com os trabalhadores
Economia 17.02.2020

"Habemus" convenção coletiva. Cactus chega a acordo com os trabalhadores

"Habemus" convenção coletiva. Cactus chega a acordo com os trabalhadores

Foto: Chris Karaba/Luxemburger Wort
Economia 17.02.2020

"Habemus" convenção coletiva. Cactus chega a acordo com os trabalhadores

Além do aumento dos salários em 20 euros, os 3.200 trabalhadores abrangidos pela nova convenção coletiva vão receber um prémio de 440 euros até 2022 e um intervalo extra de cinco minutos.

Chegou ao fim o impasse que mantinha trabalhadores e administração de costas voltadas no terceiro maior empregador do Luxemburgo desde julho de 2018. A nova convenção coletiva deverá ser assinada "nas próximas semanas", de acordo com a OGBL. 

Inclui aumentos salariais de 20 euros por mês com efeitos retroativos desde janeiro de 2020, mais tempo de descanso e um bónus de 440 euros para os 3.200 trabalhadores abrangidos pelo acordo, pago em prestações num período de dois anos. Assim, a empresa deverá atribuir a cada funcionário 200 euros ainda este ano, 120 euros em 2021 e outros 120 em 2022.

Chris Karaba

Ao fim de meses de contestação, as conquistas não ficam por aqui. A partir deste ano, nenhum dos motoristas da cadeia de supermercados pode ser contrato com um salário inferior ao salário mínimo nacional que a indexação aumentou para 2.141,99 euros por mês em 2020. A administração do Cactus compromete-se ainda a aumentá-los num prazo de um ano.  

No comunicado em que assinala o fim do impasse com os patrões, a OGBL sublinha a importância  do aumento do abono mensal por filho dos 60 para os 65 euros, a introdução do "prémio frio" que estabelece a atribuição de um subsídio de 1000 euros aos trabalhadores dos congeladores e do "bónus da produtividade" que acrescenta 10 euros "por objetivo" ao salário base.

Foto: Guy Jallay

Ainda sem data para ser assinada, a nova convenção alarga ainda o período de aviso prévio em caso de demissão para um mês, independentemente da antiguidade do trabalhador.  

Esta segunda-feira, patrões e representantes dos trabalhadores voltam a reunir. Em simultâneo, há piquete agendado em frente das instalações do supermercado em Windhof. 

  






Notícias relacionadas