Escolha as suas informações

Gilles Feith pretende ficar ao comando da Luxair
Economia 2 min. 28.09.2022
Aviação

Gilles Feith pretende ficar ao comando da Luxair

Aviação

Gilles Feith pretende ficar ao comando da Luxair

Foto: Pierre Matgé/Arquivo LW
Economia 2 min. 28.09.2022
Aviação

Gilles Feith pretende ficar ao comando da Luxair

À RTL, o atual CEO da companhia diz que tenciona continuar na sua liderança apesar dos "grandes desafios" existentes.

(jt) - O rumor da saída do CEO do Luxair, Gilles Feith, noticiado na semana passada pelo Luxemburger Wort, foi negado pelo ministro François Bausch (dei gréng), e o próprio Gilles Feith diz não saber nada sobre esta substituição. Em declarações À RTL na terça-feira, Feith que pretende permanecer à frente da companhia aérea nacional. 

Se é verdade que a Luxair enfrenta atualmente "grandes desafios", a sua missão consiste em "colocar a empresa de volta no bom caminho", afirmou em entrevista à emissora de rádio no dia seguinte à tripartida da aviação.

No início desta semana, representantes do Governo, dos sindicatos e da Luxair reuniram-se para mais uma tripartida. No final do encontro, foi decidido que a maior parte do acordo da crise da covid-19 estaria concluído até ao final do ano. À RTL, o CEO da empresa reconheceu que o setor aéreo sofreu particularmente com as restrições ligadas à pandemia. Contudo, considerou que a convenção coletiva da Luxair continua a ser uma das mais atrativas do país.


Luxair. Fim do desemprego parcial e do plano de manutenção de emprego
O desemprego parcial e o plano de manutenção de emprego deixarão de existir a partir de 1 de janeiro de 2023.

Muitos colaboradores saíram nos últimos meses

O objetivo do acordo na pandemia era o de preservar ao máximo os postos de trabalho, ao mesmo tempo que o setor sofria uma quebra acentuada devido às restrições sanitárias. 

   Nas declarações à emissora luxemburguesa, o presidente do Conselho de Administração afirmou que muitos colaboradores tinham deixado a empresa nos últimos meses, mas que estas partidas tinham sido compensadas por novas contratações. 

Uma posição contrária à dos funcionários da Luxair que se têm vindo a queixar nos últimos meses da enorme carga de trabalho, ao mesmo tempo que acusam a gestão de continuar a manter as medidas de poupança de custos relacionadas com a pandemia. O estilo de liderança de Feith também chegou a ser criticado.

Nas declarações à RTL, Feith disse ver com bons olhos a nomeação do ex-procurador-geral Robert Biever como mediador do encontro entre os trabalhadores e a administração da empresa. E confessou estar "feliz" com a implementação da mediação. Embora todas as partes tivessem concordado na necessidade de modernizar a Luxair, o CEO considera importante investir mais na eficiência das aeronaves e infraestruturas devido aos altos custos energéticos. 

(Este artigo foi originalmente publicado na edição alemã do Luxemburger Wort.)

O Contacto tem uma nova aplicação móvel de notícias. Descarregue aqui para Android e iOS. Siga-nos no Facebook, Twitter e receba as nossas newsletters diárias.